Logo Blog
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz

Quanto custa o carnaval?

Por: Joãozinho Ribeiro 

As manchetes dos principais jornais do país, divulgadas no último final
de semana, dão conta do cancelamento ou de redução das verbas públicas
destinadas ao carnaval de 2013 em algumas capitais e cidades importantes
da Federação. Os motivos do cancelamento e/ou redução dos recursos
destinados aos festejos momescos geralmente estão ligados ao estado de
emergência ou de calamidade pública decretados pelos atuais prefeitos
diante da herança deixada pelas gestões anteriores.

As capitais
destacadas na matéria de capa do jornal Folha de São Paulo da edição do
último sábado, 19 de janeiro, sob o título ‘Sem verba, prefeituras
cancelam Carnaval’, são: Florianópolis (SC), Porto Velho (RO) e São Luís
(MA). A primeira cancelou os desfiles de escolas de samba e destinou a
verba de RS 3 milhões para a saúde; a segunda adiou os desfiles para
março, com a possibilidade de serem cancelados, sob a alegação de que a
gestão anterior não realizou as licitações no tempo hábil; já São Luís,
aparece na matéria, com destaque para o cancelamento dos desfiles das
escolas, em virtude destas agremiações terem exigido um cachê de R$ 40
mil da prefeitura, que decidiu pela destinação das verbas para a saúde.

A matéria informa ainda que, em São Paulo, foram canceladas festas em
São Carlos, Caçapava, Guaratinguetá, Lorena e São José dos Campos,
destacando que nesta última houve problemas nas contas do ano passado e
que em cidades como Araraquara e Taubaté as festas terão duração mais
curta, sendo que em Campinas, uma das cidades mais ricas do Estado, a
festa irá durar só dois dias e não terá a presença de trios elétricos.

Em municípios de carnavais tradicionais de outras unidades da
Federação, como Bahia, Minas Gerais e Rio de Janeiro, o quadro é o
seguinte: Ilhéus (BA) – cancelou o carnaval, em conseqüência de dívidas
acumuladas de R$ 2 milhões; Diamantina (MG) – o carnaval quase foi
suspenso, mas vai ocorrer de forma econômica; Petrópolis (RJ) – os
desfiles de escolas de samba foram cancelados e a verba de R$ 1 milhão
será destinada a saúde. Em Guaratinguetá (SP), os desfiles foram
cancelados porque não haveria tempo para fazer licitações e repassar as
verbas para as escolas de samba locais.
Interessante
reproduzirmos, na íntegra, neste artigo, a posição firme tomada por São
Luiz de Paraitinga (SP), que se tornou famosa pela preservação do
carnaval das marchinhas:

‘A Prefeitura de São Luiz de Paraitinga
(SP) barrou a realização de shows de funk, rock e música eletrônica
planejados para o Carnaval pela cervejaria Skol, patrocinadora do
evento. Segundo a prefeitura, as apresentações não se adequavam à
tradição carnavalesca de marchinhas. Um panfleto anunciando shows de
Jorge Bem Jor, Bonde do Tigrão e do DJ Bob Sinclair vazou na internet e
gerou polêmica. A prefeitura informou que o patrocínio previa apenas
instalação de barracas para venda de cerveja. De acordo com a
administração, um decreto municipal proíbe a veiculação de outro ritmo
que não marchinhas durante os dias de carnaval. A Skol disse que os
planos ainda seriam propostos e que ‘abraça’ a tradição da cidade’.

Já em nossa São Luís, as cenas deprimentes registradas pela imprensa
maranhense, nestas duas últimas semanas, proporcionadas pelos
desgastados dirigentes de agremiações carnavalescas da nossa cidade,
revelam o grau de isolamento e de despreparo, além da falta de
legitimidade para se apresentarem como representantes das brincadeiras e
manifestações da nossa cultura popular, às quais se encontram a frente
como testas-de-ferro de algum político já se contam décadas.

Não
conseguiram se entender e nem expressar um objetivo comum, como bem
demonstrou a cobertura de um canal de televisão de grande audiência da
cidade, nem mesmo durante a audiência com o prefeito Edivaldo Holanda
Júnior, na tentativa de reverter a decisão do chefe do executivo de não
mais assegurar a realização do carnaval de passarela, motivada
principalmente pelos posicionamentos da Associação Maranhense de Blocos
Carnavalescos – AMBC, Academia de Blocos Tradicionais do Estado do
Maranhão e pela União das Escolas de Samba do Estado do Maranhão –
UESMA, de não desfilar caso não fosse garantido o pagamento de cachês.

Patético e trágico o teor das entrevistas concedidas, ora defendendo o
não desfile, ora afirmando que não foi bem isso que havia sido dito
anteriormente, e que a maioria dos blocos e escolas estaria pronta para
participar do desfile na passarela. As gravações das entrevistas
realizadas pelas emissoras de rádio e TV servem como o melhor testemunho
destas intervenções desprovidas do mínimo de coerência e fundamento
lógico acerca da problemática instalada em torno do carnaval.

No
geral, o que desponta como surpresa para os atuais gestores, grupos,
agremiações e pessoas ligadas aos festejos carnavalescos em São Luís é a
falência anunciada, já faz algum tempo, de um modelo de patrocínio e
financiamento cultural baseado no repasse desenfreado e sem critérios
transparentes de recursos públicos a grupos e pessoas que se tornaram
verdadeiros proprietários de muitas, assim chamadas ‘brincadeiras’, que
de há muito perderam totalmente os vínculos com as suas comunidades,
muitas delas com a perpetuação de dirigentes que fizeram desta condição
um meio econômico de vida e hoje se transformaram em verdadeiros
agenciadores, despachantes e intermediários dos recursos públicos.
 
*Joãozinho
Ribeiro é poeta e compositor, presidente da Fundação Municipal de
Cultura de São Luís (1997/1998), secretário de cultura do Maranhão
(2007/2009) e assessor do Ministério da Cultura (2009/2010). Escreve
para o Jornal Pequeno às segundas-feiras.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Buscar

Mais Lidas

Flávio Dino e Bira rebatem Guedes e dizem que solução para a Petrobras não é privatizar
PT solicita ao PSB adiamento de decisão sobre candidatura ao governo
PSOL considera positivo encontro com PT que discutiu frente com Felipe Camarão
Governador já não esconde preferência e deve confirmar apoio a Brandão
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz