Logo Blog
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz
  • Jorge Vieira
  • 9/ago/2022

Edivaldo anuncia criação do Auxílio Maranhão para o combate à extrema pobreza e reafirma prioridade aos que mais precisam

O ex-prefeito de São Luís e candidato a governador pelo Partido Social Democrático (PSD), Edivaldo Holanda Junior, usou as redes sociais, no início desta tarde, para anunciar que uma de suas ações ao tomar posse em janeiro de 2023 é a implementação do “Auxílio Maranhão”.
“O Maranhão é um estado com grande potencial de desenvolvimento, mas infelizmente figura entre os primeiros em todos os índices de pobreza e concentração de renda. A fome entrou na casa da nossa gente. Por não me conformar com essa situação, como governador, vou criar o Auxílio Maranhão”, anunciou o candidato.
O programa Auxílio Maranhão, conforme explicou Edivaldo, consiste na transferência de renda através de um cartão para aquisição de alimentos na rede de comércio local, movimentando e aquecendo a economia nos municípios maranhenses e gerando empregos e renda aos que mais precisam.
A meta, ainda segundo ele, é atender prioritariamente as cerca de 66 mil famílias em situação de extrema pobreza que atualmente estão na fila do Cadastro Único do governo federal para receber o Auxílio Brasil.
“Precisamos combater com urgência e eficiência esses índices alarmantes de pobreza no Maranhão e vamos fazer isso beneficiando, de imediato, as pessoas que mais precisam. Esses não têm como esperar”, afirmou, destacando que já colocou a sua equipe técnica para estudar e viabilizar a melhor forma de implantar a ação.
Ao anunciar o Auxílio Maranhão, Edivaldo reafirma que o foco essencial do seu governo terá ações que resolvam os problemas do estado, em especial, o combate à fome e fortalecimento das economias locais.

  • Jorge Vieira
  • 9/ago/2022

Lula na Fiesp: “Esse país precisa se reindustrializar”

Em encontro com empresários na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta terça-feira, 9, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu a criação de políticas que estimulem a reindustrialização do Brasil e disse ser fundamental que os empresários sinalizem em quais nichos de indústria o país pode ser competitivo e que devem ser estimulados.

“Nosso programa de governo passa por compreender que esse país precisa se reindustrializar”, destacou, afirmando ainda que a sociedade precisa discutir que tipo de emprego o país vai criar no contexto de indústria digital. Item presente nas diretrizes do programa de governo do Movimento Vamos Juntos pelo Brasil.

Ao lado de Josué Gomes, presidente da Fiesp e filho de José Alencar, que foi seu vice nos dois mandatos, Lula ressaltou a importância de o Estado atuar como agente do desenvolvimento. Também fez um panorama da situação do Brasil, com instituições desacreditadas, sem respeito internacional e com a volta da fome, e afirmou que nenhum governo pode dar certo se não tiver credibilidade, estabilidade e previsibilidade.

“Vou repetir três palavras que fazem parte do meu dicionário: credibilidade, estabilidade e previsibilidade. Qualquer governante, se não tiver essas três palavras permeando o comportamento dele, o governo não dará certo”. Ainda em panorama sobre a situação do Brasil, pior hoje do que em 2003, quando iniciou o primeiro mandato, Lula criticou os retrocessos promovidos pelo atual governo, disse ser preciso voltar à normalidade, com cada uma das instituições atuando na esfera que lhe cabe.

Ele lembrou do legado de seus governos, com redução da dívida, crescimento, fluxo de comércio exterior, investimento em educação e criação de emprego e de reservas e disse que, naquela época, o país deu um salto de qualidade. “Ninguém quer desmontar o que está dando certo. O que a gente quer é fazer com que as coisas que não estão certas fiquem certas”, completou.

Em discurso de abertura, o presidente da Fiesp sinalizou as demandas do setor. Afinado com o que já defende o ex-presidente Lula, Josué Gomes ressaltou a necessidade de reindustrialização, considerando os avanços tecnológicos, a digitalização dos processos, a inteligência artificial e a questão climática.

“A economia de baixo carbono é imperativa, tendo em vista a emergência climática que está aí a nos cobrar soluções. Não podemos ignorar tais mudanças e a esperada reindustrialziação do país passa por essas questões e pelo desenvolvimento tecnológico”, afirmou Gomes.

O dirigente da entidade empresarial defendeu também mudanças no sistema tributário, “anacrônico e burocrático”, para desafogar a indústria de transformação. “A indústria de transformação representa 30% dos impostos arrecadados e só 11% do PIB, já tendo representado mais de 27%”, afirmou, destacando também necessidade de investimentos em infraestrutura.

Maior programa de infraestrutura da história – Lula destacou políticas de seu governo, como a criação do maior programa de infraestrutura da história, o Programa de Aceleração do Crescimento, e ressaltou também a necessidade de o desenvolvimento respeitar a questão ambiental. “A economia de baixo carbono é uma necessidade para a competitividade e é um jeito de ganhar dinheiro também. Temos que discutir como tirar proveito das riquezas que a gente tem”

O ex-presidente lembrou que ouvia governadores, prefeitos e empresários, além de movimentos sociais e entidades sindicais na definição das políticas em seus governos, como fará num eventual novo mandato, e disse ter orgulho do que fez em suas gestões. Somadas, disse ele, as políticas públicas de seus governos deram vultoso investimento ao país.

“Nós fizemos aquilo que a sociedade nos incentivou a fazer. Muitas das políticas públicas foram deliberadas no Conselho de Desenvolvimento Econômico e social. Todas as políticas foram tiradas de 74 conferências nacionais. É por isso que o país deu certo”, afirmou, lembrando da importância da inclusão dos pobres no orçamento para dar jeito no país. “Nunca o país viveu um estágio de alegria coletiva como nesse período”.

Se eu for eleito, a primeira coisa que vou fazer é reunir os 27 governadores para reconstituir o pacto federativo e pensar um pacote de infraestrutura com as principais obras que precisam ser feitas em cada estado. E vou ajudar os governadores a buscarem investimentos.

  • Jorge Vieira
  • 9/ago/2022

A favor da morte? Roberto Rocha mantém silêncio sobre Projeto de Lei que amplia cobertura de planos de saúde

O senador maranhense e pré-candidato à reeleição, Roberto Rocha (PTB), até o momento não se pronunciou sobre Projeto de Lei (PL 2033/22) que prevê ampliação na cobertura dos planos de saúde no Brasil.Já aprovado na Câmara dos Deputados, o projeto prevê que as operadoras de planos de saúde do país serão obrigadas a cobrir novos procedimentos, tratamentos e remédios que tenham eficácia comprovada pela ciência e incorporação pelo Sistema Único da Saúde (SUS).O PL2033 derruba o chamado rol taxativo da Agência Nacional da Saúde (ANS). Decisão do STJ desobrigava os planos de saúde a bancarem procedimentos que estivessem foram da lista da ANS.Para vários especialistas em saúde pública, o rol taxativo atendia a lobby das operadoras e a medida judicial resultou na morte de vários pacientes Brasil afora.Parlamentares contra a vida – Nas redes sociais, internautas cobram posicionamento dos senadores sobre o PL2033. A jornalista e candidata à deputada estadual pelo PSB de São Paulo, Andréa Werner, revelou que do Maranhão, até agora apenas a senadora Eliziane Gama (Cidadania) se manifestou “a favor da vida” e contra o lobby dos planos de saúde.Roberto Rocha e o senador Roberth Bringel (União Brasil) – este último assumiu a cadeira de Weverton Rocha (PDT), candidato ao Governo do Maranhão – simplesmente trataram o tema com indiferença.Mas a população eleitora que precisa de serviços de saúde quer saber: e então, Roberto Rocha, você vai votar a favor da vida dos brasileiros ou em defesa dos multimilionários donos de planos de saúde?O Projeto de Lei deveria ser votado nesta terça-feira (9) sem mudanças no texto, mas a pauta foi adiada e o assunto só será apreciado pelo Senado no dia 29 de agosto.

  • Jorge Vieira
  • 9/ago/2022

Enilton Rodrigues defende que o estado assuma a responsabilidade de resolver os problemas mais agudos dos maranhenses

Em entrevista nesta terça-feira na TV Mirante, quadro Bastidores, o candidato da federação PSOL/Rede Sustentabilidade a governador do Maranhão, Enilton Rodrigues, destacou a importância do estado tomar para si a responsabilidade de resolver os problemas mais agudo sentido pelo povo maranhense.

Segundo Enilton, 14% da população maranhense vive (sobrevive) com menos de 2 dólares por dia, isto é, vivem na miséria. O candidato destacou ainda que isso não é uma realidade apenas do Maranhão, mas sim de todo o país, onde 33 milhões de pessoas estão passando fome.

Para o representante do PSOL, esses pontos importantes da conjuntura nacional precisam ser pautados pelos candidatos a governador e presidente da República. Enilton disse também que sua candidatura é a única 100% Lula no Maranhão.O candidato parabenizou o Sistema Mirante de Comunicação pela iniciativa de ouvir todos os candidatos a governador para que o povo maranhense possa ouvir, conhecer e fazer sua escolha com consciência política, “e não entrar no jogo de que só os que tem as super máquinas de campanha sejam visto.

“Uma importante contribuição da Mirante para o processo democrático nesta eleição” observou Enilton Rodrigues, que também é engenheiro florestal e especialista em gestão pública.

  • Jorge Vieira
  • 9/ago/2022

Edivaldo conta os dias que faltam para a eleição

Edivaldo Holanda Junior, pré-candidato a governador do Maranhão pelo PSD, iniciou a semana contando os dias que faltam para a realização do pleito que definirá o próximo governante do estado, um senador, dezoito deputados federais e quarenta e dois estaduais. “Um Maranhão melhor para todos” é o slogan da campanha.

“Faltam 55 dias para realizar o sonho de cuidar do meu povo maranhense de norte a sul do estado! Vamos juntos e juntas, que a estrada é longa, mas já foi muito maior”, diz peça publicitária do candidato publicada em sua rede social nesta segunda-feira (8), o que mostra sua confiança no pleito que se aproxima.

Vítima de fake News, Edivaldo passou toda a pré-campanha sendo tratado com desconfiança por setores da mídia militante, que colocavam em dúvida a manutenção da candidatura. Chegaram ao absurdo de inventar a possibilidade dele ser candidato a senador ou compor como vice de Lahesio Bonfim (PSC), algo que nunca passou pela sua cabeça.

A dúvida se desfez com a confirmação do seu nome na convenção do PSD realizada em 30 de julho. Mesmo tendo que lidar com fake News, ainda assim manteve-se estável nas pesquisas, agora espera crescer, chegar no dia da eleição em condições de vencer, pois agora o eleitor não tem mais nenhuma dúvida de que a candidatura é para valer.

“O Edivaldo é candidato?”, era a pergunta que costumavam fazer pessoas do povo quando alguém falava no nome do ex-prefeito de São Luís como postulante aos cargo de governador do estado. A certeza, no entanto, veio com a aclamação da candidatura na convenção que contou inclusive com a presença do presidente nacional do partido, Gilberto Kassab.

Político leve, carismático e seguro quanto ao seu objetivo para esta eleição de 2 de outubro, o ex-prefeito da capital não se abalou, manteve-se em campo conversando com lideranças, percorrendo o Maranhão e criando núcleos de apoio para a disputar o pleito em condições de passar para o segundo turno e enfrentar em pé de igualdade qualquer um dos concorrentes.

A campanha ainda vai começar, a população agora que vai pensar na eleição, nos candidatos, analisar o que cada um tem a oferecer ao Maranhão e aos maranhenses, vê a vida pregressa de cada um antes de sufragar o voto. E deve passar pela lupa dos eleitores aqueles candidatos lobos vestido em pele de cordeiro, com objetivos escusos.

Candidato envolvido em escândalos de corrupção, orçamento secreto e que defende este mecanismo de desviar recursos públicos, nem pensar; é colocar raposa para tomar conta de galinheiro.

  • Jorge Vieira
  • 8/ago/2022

Lula assina manifesto em defesa da democracia no Brasil

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta segunda-feira, 8, a Carta às Brasileiras e aos Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito, manifesto em defesa da democracia no Brasil elaborado por ex-alunos da Faculdade de Direito da USP. A socióloga Janja da Silva, esposa de Lula, também assina o documento.

O documento, que visa combater as notícias falsas e ataques contra as urnas eletrônicas e o sistema eleitoral brasileiro, já conta com mais de 795 mil assinaturas, entre juristas, professores, atletas, artistas, políticos e membros da sociedade civil. O documento será lido publicamente na próxima quinta-feira, 11 de agosto.

O manifesto homenageia a Carta aos Brasileiros de 1977, documento escrito pelo então professor da faculdade, Goffredo da Silva Telles Júnior, que denunciava o estado de exceção criado pela ditadura militar após o golpe de 1964. A carta foi lida pelo professor no Largo do São Francisco, em São Paulo, há exatos 45 anos, em 8 de agosto de 1977.

  • Jorge Vieira
  • 8/ago/2022

Othelino e Ana Paula participam do lançamento da candidatura de Flávia Alves em Vitorino Freire

O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, deputado Othelino Neto (PCdoB), que concorre à reeleição, e a candidata a primeira suplente de Flávio Dino ao Senado, Ana Paula Lobato (PSB), foram recebidos com festa, nesse domingo (8), em Vitorino Freire, durante ato político que marcou o lançamento da candidatura de Flávia Alves Maciel a deputada federal, na cidade.O movimento, liderado pelo ex-prefeito do município, José Leandro Maciel, e que contou com o apoio de todo o grupo Jacaré, também marcou o lançamento da candidatura de Florêncio Neto a deputado estadual.“Flávia está pronta para defender a cidade e representar os vitorinenses na Câmara Federal. Vamos, juntos, continuar buscando recursos, por meio do Governo do Estado, em prol do município, que tanto já  recebeu benefícios, porque esta luta é de todos nós”, enfatizou o chefe do LegislativoAna Paula Lobato, também vice-prefeita de Pinheiro, enalteceu a importância de ter uma representante de Vitorino Freire em Brasília. “Flávia é uma mulher de coragem e grande potência, que está pronta para representar o povo desta cidade, onde tem fortes raízes e, principalmente, lutar pelos direitos das causas femininas”, destacou Ana Paula, que estava representando o candidato ao Senado, Flávio Dino.Flávia Alves Maciel falou da emoção do momento. “Vivi uma das maiores emoções da minha vida, em Vitorino, cidade que me acolheu como filha. Meu coração se enche de orgulho. Muitas palavras, muitas emoções e uma certeza: estou no caminho certo”.O governador Carlos Brandão (PSB) esteve presente e agradeceu o apoio recebido. “Grato pela recepção do grupo Jacaré e de todos que estiveram conosco, neste encontro que reuniu amigos, apoiadores e muitos vitorienses”, disse. O secretário da Infraestrutura do Estado, Aparício Bandeira, o deputado estadual Carlinhos Florêncio e o empresário Marcos Maciel também estiveram presentes.

1 2 3 2.387

Buscar

Mais Lidas

Edivaldo conta os dias que faltam para a eleição
A favor da morte? Roberto Rocha mantém silêncio sobre Projeto de Lei que amplia cobertura de planos de saúde
Weverton Rocha quer que maranhenses paguem para andar nas rodovias MAs
Edivaldo anuncia criação do Auxílio Maranhão para o combate à extrema pobreza e reafirma prioridade aos que mais precisam
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz