Logo Blog
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz
  • Jorge Vieira
  • 4/out/2012

Justiça do Maranhão concede sentenças diferentes para casos iguais

Algo de muito estranho
acontece na justiça do Maranhão, digna de melhor atenção do CNJ – Conselho Nacional de Justiça . Acerca de duas semanas, o Tribunal de Justiça
do Estado condenou o prefeito do município de Governador Edson Lobão, Lourêncio
de Moraes, a um ano e dois meses de cadeia, e também à perda do cargo de
prefeito.

Lourencio de Moraes foi
acusado de mentir em documento oficial enviado ao Tribunal de Contas do Estado,
afirmando que teria encaminhado à Câmara de Vereadores uma cópia da prestação
de contas do ano de 2009. O Ministério Público provou que o prefeito havia
mentido e não encaminhou os documentos à Câmara. Foi condenado pelo crime de
falsidade ideológica por mentir ao TCE.
No entanto, o mesmo Tribunal de Justiça, ao analisar o caso do prefeito se São
Bento, Luiz Gonzaga Barros, acusado do mesmo crime cometido pelo prefeito
Lourencio de Moraes, de mentir em documento enviado ao TCE, decidiu de forma
totalmente diferente, livrando Barros da cadeia e de perder o cargo de
prefeito.
Luis Barros é aliado
político do deputado Edilásio Junior (PV), e  
foi o  deputado mais votado em São
Bento nas eleições de 2010, com cerca de cinco mil votos; Edilásio é
genro da desembargadora Nelma Sarney, cunhada do todo poderoso presidente do Senado, José Sarney (PMDB).

  • Jorge Vieira
  • 4/out/2012

Reggae na campanha em São Luis é destaque no UOL

São Luís (MA)

Líder em abstenção, capital maranhense tem campanha eleitoral embalada pelo reggae

Cidade tem o maior índice de abstenção de votos entre as capitais

Carlos Madeiro, Fabrício Venâncio, Leandro Moraes e Nolle Marques
 Do UOL, em São Luís

Capital
do Maranhão, São Luís possui diversas peculiaridades. Do reggae, que
domina as baladas locais, ao famoso guaraná Jesus, a cidade tem a fama
de “ilha rebelde” e se destaca nacionalmente pelo alto índice de
abstenção nas eleições. Na votação passada, em 2010, o índice foi o
maior entre as capitais brasileiras. Para os ludovicenses, falta crédito
aos políticos locais.

Do UOL, em São Luís (MA)


Aos 400 anos, São Luís é uma cidade histórica que
preserva peculiaridades marcantes, desde a arquitetura dos prédios
históricos passando por seu gosto culinário e o ritmo musical.
Politicamente, além da já conhecida fama de terra dos Sarney, outro fato
marca a cidade: a capital maranhense registra rotineiramente índices de
abstenções maiores que à média nacional.

Os números do TSE
(Tribunal Superior Eleitoral) não deixam dúvida sobre a falta de
interesse de parte significativa do eleitorado. Em 2008, na última
eleição municipal, dos 636 mil eleitores, 115 mil deixaram de votar
(18%). Em 2010, o número ainda foi maior: 163 mil não foram às urnas, o
que representou 24,5% do eleitorado, maior índice entre as capitais
brasileiras.

A abstenção em São Luís é algo que se repete ao longo
dos anos e já virou motivo de preocupação. Segundo o TRE-MA (Tribunal
Regional Eleitoral do Maranhão), campanhas de conscientização, com
panfletos e jingles, foram lançados orientando sobre a importância do
voto e conclamando pela presença dos eleitores no dia 7 de outubro.

O UOL visitou São Luís dentro do projeto UOL pelo Brasil –série de reportagens multimídia que percorre municípios em todos os Estados da federação durante a campanha eleitoral.

Foto 4 de 24 – Casarões do centro histórico de São Luís, no Maranhão Leandro Moraes/UOL

No reggae, rebeldia e descrédito nos políticos

Para entender a alma ludovicense e tentar achar explicações para o desinteresse da população com a votação, o UOL foi a festas de reggae, que são a essência cultural da cidade.
Muitos
são os argumentos usados pelos regueiros –que lotam os bares e
clubes– para o descrédito nos políticos maranhenses. “Hoje em dia, a
política está sem confiança porque os políticos prometem e não cumprem. E
hoje em dia ninguém é mais burro, e a confiança foi embora”, afirma o
DJ Call Lewis.

Com
a cultura musical forte, o reggae se tornou uma das vozes principais da
população pobre. “O reggae canta reivindicações da periferia, falando
da necessidade do povo. Porque periferia não é só pobreza. Os políticos
precisam ter mais consciência. Na hora da eleição, eles se veem ao lado
para conquistar o voto. Depois esquecem”, diz Márcia Magalhães,
dona-de-casa e frequentadora assídua do bar do Cidinho, um dos
principais pontos de encontro de regueiros da cidade.

Parte da
abstenção também poderia ser explicada pela “rebeldia” da cidade, que é
expressada nas letras e ritmo das canções. “O reggae é praticamente a
alma da cidade. A nossa ilha tem o pseudônimo de ilha rebelde, e acho
que o reggae é o que mais casa com isso, porque a ilha que não se rende.
O povo maranhense qye mora na capital tem uma consciência política que é
muito forte”, conta o pesquisador e produtor cultural Amsterdã Silva
Botelho.

Os políticos sabem que São Luís tem o reggae na alma, e
os jingles de campanha são embalados pelo ritmo. Não é difícil encontrar
um candidato que fez letras ao som do reggae para tentar chegar à
população.

“Todos os candidatos usam o reggae, seja num simples
jingle, para que a mensagem absorvida, ou de forma mais direta. Mas
temos alguns políticos ligados diretos ao reggae. E o regueiro por se
identificar com isso para representar. Desde o vereador ao prefeito”,
completa Botelho.

Oito candidatos, com DEM e PT juntos

A
política em São Luís possui também suas características marcantes. Uma
delas é a influência da família Sarney, que tem a governadora Roseana
(PMDB). A família também controla o maior sistema de comunicação, o
grupo Mirante.

A disputa pela Prefeitura de São Luís envolve oito
candidatos. Em mais uma peculiaridade política, a capital conseguiu unir
os rivais DEM e PT. Os petistas lançaram o nome de Washington Luís.

Você acha que a “rebeldia” do reggae faz com que o eleitor de São Luís deixe de ir às urnas?

  • Sim, a cultura faz com que as pessoas percam o interesse na política

  • Não, o povo não vota pela qualidade e propostas dos candidatos locais

  • Não conheço a cidade e não posso opinar

Resultado parcial

A aliança
não se justificaria não fosse pela articulação do PMDB, da família
Sarney, que reuniu na chapa nada menos que 13 partidos. Por conta das
rusgas nacionais, a aliança em São Luís não se repete em outra capital
do Brasil e precisou passar pela aprovação da Executiva Nacional do DEM.

Segundo
o partido, a aliança se justificou pelo fato de a sigla apoiar o
governo de Roseana Sarney (que, antes de ser do PMDB, era filiada ao
PFL, que veio a se transformar no DEM). Em contrapartida, o DEM informou
que recebeu a garantia do apoio do governo estadual em 29 municípios.

Apesar
da grande união dos partidos e do maior tempo eleitoral, o candidato do
governo não emplacou e corre sério risco de ficar fora do segundo
turno. Segundo última pesquisa Ibope, Washington é apenas o terceiro
colocado, com 22% das intenções de voto. O líder é o atual prefeito João Castelo (PSDB), com 29%, contra 26% de Edivaldo Holanda Júnior (PTC).

São Luís e seus apelidos

  • Fabrício Venâncio/UOLCom
    seu patrimônio histórico reconhecido internacionalmente, São Luís é
    marcada pela força cultural. Isso lhe rendeu uma série de apelidos. Ilha
    das Lendas, Ilha Rebelde, Atenas Maranhense, Capital do Reggae, Ilha do
    Amor são alguns deles. Claro, o Estado do Maranhão também é conhecido
    nacionalmente como “terra dos Sarneys”.

A coluna do Sarney

Não
é comum capas de jornais darem espaço para artigos. Ainda mais aos
domingos, dia de venda gorda. Mas o Estado do Maranhão foge à regra e
publica a coluna do Sarney. Dono do sistema Mirante, o senador pelo
Amapá usa o espaço semanalmente para dar o seu recado.

 

                           Noelle Marques/UOL 

Esgoto nas praias

Desde
abril, todas as praias de São Luís receberam placas indicando que
estariam impróprias para o banho. E não é muito difícil descobrir o
porquê disso, já que é possível ver esgotos sendo jogados diretamente no
mar. O UOL tentou entrar em contato com a Secretaria
de Estado de Meio Ambiente e Recursos Naturais para confirmar se a
situação permanece a mesma, mas não conseguiu localizar ninguém para
comentar.

Cidade: São Luís
Estado: Maranhão
População: 1.014.837 (2010)
PIB per capita: R$ 15.381,99 (2009)
Área (em km²): 834,780
Número de eleitores: 678.070 (2012)
Data de fundação: 8 de setembro de 1612.

  • Jorge Vieira
  • 4/out/2012

Setença contra ex-prefeito é executada pela Justiça a pedido do MP

O
Ministério Público do Maranhão, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de
João Lisboa, requereu, e a Justiça deferiu, o pedido de execução de
sentença, já transitada em julgado, contra o ex-prefeito de João Lisboa,
Francisco Alves de Holanda, condenado a pagar multa no valor de R$ 1
milhão e 388 mil, por ato de improbidade administrativa, verificado em
processo de dispensa indevida de licitação.
Na
mesma sentença, foram condenados o ex-secretário de Saúde de João
Lisboa, Deocleciano Aires Carvalho, e os empresários Pedro Romero de
Lira Danda e Hélio Alves de Bezerra. Ao ex-secretário foi imputada a
multa no valor de  R$ 1.197.241,17. Aos empresários foi fixado, para
cada um, o valor de R$ 1.128.175,86
Os
condenados ainda terão que pagar a quantia de R$ 564.087,93, a ser
dividida em partes iguais para todos, a título de ressarcimento integral
do dano sofrido pelo patrimônio público.
Além
disso, os quatro executados tiveram seus direitos políticos suspensos
por oito anos, a contar do trânsito em julgado da sentença condenatória,
ou seja, a partir do dia 15 de dezembro de 2011.
HISTÓRICO DO CASO
Em
2001, logo depois de tomar posse na prefeitura de João Lisboa, 
Francisco Alves de Holanda, alugou o prédio do Hospital Bom Jesus, de
propriedade dos empresários Pedro Romero de Lira Danda e Hélio Alves de
Bezerra, pelo valor de R$ 10 mil mensais, com dispensa indevida de
licitação.

o secretário de Saúde à época, Deocleciano Carvalho, participou da
operação ao assinar atestado informando que na cidade não existia prédio
adequado para receber o hospital municipal, embora funcionasse o
Hospital Dom Bosco, locado pela administração anterior. O documento
serviu para amparar a dispensa do procedimento licitatório.
CERTIDÕES
No
pedido de execução da sentença, o promotor de justiça Tarcísio Bonfim,
titular da 1ª Promotoria de João Lisboa, requereu que fosse expedida
certidão para a Justiça Eleitoral, comunicando sobre a suspensão dos
direitos políticos dos executados.
Também
foi requerida a emissão de certidão para os Governos Federal e
Estadual, Tribunais de Contas do Pará e Tocantins, bem como para as
Juntas Comerciais desses estados, e para as  Receitas Federal e
Estadual, cientificando que os executados estão proibidos de contratar
com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou
creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa
jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo período de cinco anos a
contar do trânsito em julgado da sentença.

  • Jorge Vieira
  • 4/out/2012

Justiça Eleitoral não tem controle e “institutos” apresentam números ao gosto do cliente

A Justiça Eleitoral deveria
fiscalizar os critérios que os mais variados institutos de pesquisas vêm
realizando, principalmente no interior do Estado, onde são gritantes a
diferença de números de uma empresa para a outra.
Lembro que alguns anos atrás
existiam no Maranhão apenas os Institutos Econométrica, Escutec e Visão, mas
nas últimas eleições apareceram institutos para todos os gostos. Basta acionar,
pagar entre R$ 3.000,00 e R$ 5.000,00 que o candidato tem em mãos tudo que
precisa: favoritismo.
Vou citar com exemplo apenas o
caso de Barreinhas. Lá, a  Escutec fez
duas pesquisas. Na primeira Albérico Filho pareceu com 50% e o adversário Leo
Costa 39%. Hoje (04), o mesmo Escute publica pesquisa no jornal o Estado do
Maranhão apresentando Albérico com 51% e Costa com 38,7%.
No Jornal Pequeno, no entanto, outro
“instituto” chamado Perfil publica resultado completamente divergente do
Escutec. Segundo Perfil, se a eleição fosse hoje Leo Costa teria 51,1% e
Albérico 41,7%. Quem está falando a verdade? Cadê o respeito com o eleitor do
município? Acho que tá na hora do TRE tomar uma providência.
Em São Luís, então, é uma festa.
Os “institutos” apresentam os números ao gosto de quem contrata. O pior é que
esses resultados suspeitos são registrados no TRE, sem que o órgão exerça qualquer
tipo de fiscalização. Bastou protocolar e aguardar cinco dias que a pesquisa
está pronta para ser publicada.     
Se por um lado, as empresas que
trabalham com estatística agradam os clientes que as contratam, por outro confunde
a cabeça do eleitor. A final quem está na frente na corrida pela prefeitura de
São Luís? A Constat, empresa que trabalha para a TV Guará, que apoia João
Castelo, diz que é o prefeito. Já o “Data M” garante que é Edivaldo quem está
na frente e o Ibope aponta empate técnico.
No interior do Estado, onde a mão
da Justiça nunca alcança, normalmente aparece em primeiro lugar quem contrata a
sondagem. O pior é que estes números, verdadeiros ou não, são transformados em
panfletos e espelhados aos milhares nos municípios com a única intenção de confundir
o eleitor que prefere votar no candidato que vai ganhar, uma prática criminosa,
mas que está sendo tolerada pela Justiça Eleitoral.
O eleitor consciente, porém, não
se deixa enganar e sabe que a verdadeira pesquisa acontecerá no próximo domingo
(07) quando iremos às urnas votar livremente naquele que considerarmos melhor
para renovar e fazer as mudanças que a cidade precisa. 

  • Jorge Vieira
  • 4/out/2012

TJ escolhe Rodrigo Lago para compor lista tríplice do TRE

Rodrigo Lago é profissionais do direito eleitoral
O pleno do Tribunal de
Justiça do Maranhão (TJMA) escolheu, em sessão administrativa nesta
quarta-feira (3), os advogados Eduardo Moreira, Rodrigo Lago e Eneas
Frazão para compor a lista tríplice de advogados que irão concorrer a
vaga de juiz substituto do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
A
vacância é decorrente do término do biênio do advogado Francisco José
Ramos da Silva, conforme comunicado da presidente do TRE, desembargadora
Anildes Cruz, ao TJMA.
Na mesma sessão, o advogado Daniel Leite
foi indicado para ocupar a vaga do juiz aposentado Francisco Florismar
de Almeida, na lista tríplice composta por Daniel Blume Pereira e
Adroaldo Sousa. A mudança de Almeida por Leite deve-se ao fato de o
artigo 25 do Código Eleitoral não permitir a candidatura de magistrado
aposentado.

Através da rede social Facebook, Rodrigos Lago externou seu contentamento com a indicação. “Tive
a honra de ter o meu nome escolhido pelo Tribunal de Justiça do
Maranhão para compor a lista tríplice para juiz substituto do Tribunal
Regional Eleitoral do Maranhão. A lista seguirá para o TSE, e depois
será encaminhada para a presidente da República, a quem cabe escolher um
dos três nomes”, informou a seus seguidores.

Lago é um dos bons profissionais do direito eleitoral que vem conseguindo projeção por conta das posições firmes e equilibradas que tem assumido. Ele assina com o deputado Rubens Pereira Júnior a ação em que o ex-governador José Reinaldo Tavares pede a cassação da governadora Roseana Sarney por abuso de poder político e econômico nas eleições de 2010.    



  • Jorge Vieira
  • 3/out/2012

Edivaldo finaliza programa eleitoral com saldo positivo

Nesta quarta-feira (3), foi ao ar o último programa
de Edivaldo Holanda Júnior (PTC) no horário eleitoral gratuito da televisão. Na
peça de campanha, Edivaldo resumiu as propostas de seu plano de governo,
fazendo um chamado aos eleitores para que se somem ao processo de renovação
política de São Luís.

         
                       

O programa do candidato de oposição ao atual
prefeito João Castelo (PSDB) e à governadora Roseana Sarney (PMDB) destacou o
desejo da população em apostar em um novo nome para reverter o estado de
abandono da cidade. Edivaldo, o candidato a vice-prefeito, Roberto Rocha (PSB),
o presidente da Embratur, Flávio Dino (PCdoB),  e cidadãos comuns foram
apresentados como integrantes de um mesmo projeto: a construção de um novo
futuro para São Luís.
“Vamos caminhar juntos, cada companheiro pedindo
mais um voto, para que no dia 7 de outubro nós possamos, com a benção de Deus,
vencer as eleições. À vitória! Um grande abraço! À vitória”, afirmou Edivaldo,
finalizando o último programa deste 1º turno.
Durante quase um mês e meio de veiculação, a peça
de Edivaldo na televisão mostrou as propostas que vão transformar São Luís em
uma capital moderna, com desenvolvimento econômico e justiça social. Bilhete
Único, 20 novas creches em tempo integral, Hospital Dr. Jackson Lago,
subprefeituras e BRT’s (corredores exclusivos de ônibus) são algumas dessas
propostas. Além da divulgação na TV, a campanha de Edivaldo teve repercussão na
internet, com postagens de vídeos, fotos e mensagens nas redes sociais.
Edivaldo foi o único que não perdeu tempo de
televisão na propaganda gratuita. O petecista também conseguiu direitos de
respostas por conta dos ataques desferidos pelos demais candidatos.
Com uma estratégia propositiva, sem atacar outros
candidatos e apresentando soluções viáveis para os problemas da cidade,
Edivaldo Holanda Júnior teve crescimento contínuo nas pesquisas de intenção de
voto, já aparecendo como vencedor nas simulações de 2º turno. “Fizemos uma
campanha limpa, apresentando nossas propostas e só prometendo o que pode ser
cumprido”, declarou Edivaldo sobre o balanço de campanha.
Caminhada nos bairros
Outro diferencial na jornada de Edivaldo rumo à
prefeitura de São Luís foram as caminhadas nos bairros. Desde julho, quando foi
iniciada oficialmente a campanha, o candidato percorreu 60 bairros, da zona
rural ao centro da cidade. Em cada local que passava, recebia o carinho dos
moradores e ouvia suas principais reclamações.
Nas visitas diárias, Edivaldo constatou que a
cidade foi abandonada pela atual gestão. Crianças sem escola, ruas sem asfalto,
casas sem sistema de coleta de esgoto e trânsito congestionado são os exemplos
dos problemas que fazem parte do cotidiano de São Luís.
“Foi olhando no olho das pessoas e conhecendo seus
problemas que vivi esses três meses de campanha. Como prefeito, vou continuar
dialogando com as comunidades”, comentou Edivaldo Holanda Júnior.

  • Jorge Vieira
  • 3/out/2012

Deputados acusam mineradora Vale de causar danos ao meio ambiente no Maranhão

Vale usa o Porto de Itaqui, não deixa nada no Maranhão

Os
deputados Manoel Ribeiro e Hélio Soares não andam nada satisfeitos com a
atuação da Companhia Vale do Rio Doce no Maranhão. Os dois acusam a mineradora
de omissão em relação aos problemas sociais do Estado.  

Ribeiro
acusa a Vale de discriminar o Estado. Ele apresenta como exemplo o programa
Estação do Conhecimento, que está abandonado no Estado, enquanto no Rio de
Janeiro funciona a pleno vapor.  
Hélio
Soares, porém, chama a atenção para os problemas ambientais. Conforme o
parlamentar, a Companhia Vale do Rio Doce vem causando sérios danos ao meio ambiente
no Maranhão. Ele destacou a submersão de mais uma plataforma da companhia no
Estado e o alto índice de poluição na região tocantina, em decorrência dos
cerca de 300 fornos existentes na área.
Sobre a submersão da plataforma, Hélio Soares pegou pesado com a direção
da multinacional. “Eles ainda têm o cinismo – como se todos fossem cegos – de
dizer que não causa nada ao meio ambiente. Os estragos são incalculáveis”,
disse o parlamentar.  
Soares
denuncia ainda que a população dos municípios de Pequiá, Açailândia,
Cidelândia, Vila Nova dos Martírios e São Pedro da Água Branca, localizados na
região tocantina, passam por sérios problemas de saúde  devido ao alto
índice de poluição provocada pelos fornos existentes naquelas localidades.
Hélio Soares alerta ainda que a Vale está se preparando
para comprar o Porto do Itaqui, o pulmão econômico do Maranhão, que está em
vias de ser privatizado.

1 1.773 1.774 1.775 1.776 1.777 2.049

Rádio

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Mais Lidas

MPE investiga denúncia de Yglésio contra Duarte Júnior por campanha eleitoral antecipada
Anuência do governador a pré-candidatura de Rubens Jr. é frutos de pesquisa interna
Bira do Pindaré quer criminalizar agressões à profissionais da imprensa
MP Eleitoral representa contra Braide por propaganda irregular
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz