Logo Blog
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz

Duzentos mil empregos

Por: José Reinaldo Tavares

Roseana Sarney repete sem cessar que está criando duzentos mil empregos
no Maranhão. Esse número inventado por seus marqueteiros tenta
sintetizar e demonstrar que o governo atual implantou no Maranhão os
fundamentos do desenvolvimento e da mudança no estado, sendo ela a
criadora, a líder inconteste dessa transformação maravilhosa. E em todas
as propagandas do governo ou nos programas do PMDB ela repete esse
bordão. Ela tenta mais uma vez na história seguir ensinamentos de Joseph
Goebbels, ministro da propaganda de Adolf Hitler, segundo homem mais
importante da hierarquia nazista, que foi fundamental para que Hitler
pudesse manipular as massas e levá-las à tentativa do domínio do mundo
por intermédio da terceira guerra mundial, que teve início em 1939.

Entre as frases mais famosas de Goebbels estão: ‘Uma mentira contada
mil vezes torna-se uma verdade’. ‘Nós não falamos para dizer alguma
coisa, mas para obter um certo efeito’ e ‘A essência da propaganda é
ganhar as pessoas para uma ideia de forma tão sincera, com tal
vitalidade, que, no final, elas sucumbam a essa ideia completamente, de
modo a nunca mais escaparem dela. A propaganda quer impregnar as pessoas
com suas ideias. É claro que a propaganda tem um propósito. Contudo,
este deve ser tão inteligente e virtuosamente escondido que aqueles que
venham a ser influenciados por tal propósito nem o percebam’.

Porém, essa propaganda alardeada pelo governo do Maranhão é tão sem
sentido que beira o ridículo. Onde estão esses empregos? Ao alcance de
quem? A quem estes beneficiam? E onde foram obtidos? A farsa da
refinaria de araque, nem para inglês ver, como diz o ditado, está
servindo. Foi apenas um factoide eleitoral, irresponsável, e bem
representado para ajudar a eleição de Roseana Sarney em 2010. Talvez
então na empresa Susano Celulose… Mas onde mesmo?

Ninguém sabe,
ninguém viu. Muito menos o Ministério do Trabalho, que é responsável
pelas estatísticas de empregos criados por meio do CAGED – Cadastro
Geral de Empregos, entidade responsável por elaborar as estatísticas
desde 1965. Isenta, e, portanto, não influenciável pelas propagandas de
Roseana.

O balanço publicado do ano de 2012 sobre o Maranhão
informa o seguinte: ‘Do montante de 1.301.842 postos de trabalho formais
criados pela economia brasileira em 2012, o Maranhão foi responsável
por apenas 0,96% desse total, o que demonstra uma situação muito ruim do
estado frente ao restante do país’.

Tomando por base os últimos
três anos, verifica-se que entre 2010 e 2012 o estado vem apresentando
uma geração de novos postos de trabalho cada vez menor. Em 2010, apoiado
em forte crescimento do PIB brasileiro, a economia local gerou 46.206
empregos formais. Já em 2011 a geração de empregos atingiu forte queda,
atingindo apenas 28.563 empregos ou uma redução de 38,18% de um ano para
o outro.

Em 2012, geramos apenas 12.558 empregos, ou redução de 56,03% em relação a 2011 e 78,82% em relação a 2010.

Uma calamidade. Andamos para trás, piorando o que já era ruim, cada vez mais profundamente.

Do total de 12.558 postos de empregos formais criados em 2012 pela
economia local, 9.845, ou seja, 78,40% foram originados no setor de
serviços e desses 7.720, ou seja, 61,47%, o foram no setor de comércio,
que em nada depende do governo.

Já o setor de serviços
industriais, agropecuária e construção civil não geraram postos de
trabalho em 2012. Na verdade, o setor industrial perdeu 331 vagas, a
agropecuária perdeu 476 e a construção civil perdeu 5.302 empregos
formais.

Não existem dúvidas de que a economia maranhense em
2012, no que concerne à geração de empregos, viveu um ano estarrecedor,
sentindo fortemente os impactos de um baixo crescimento econômico.

Então, mais uma vez pergunta-se: onde estão os empregos de sua
propaganda, governadora? Pare com isso! Não há como sustentar uma
mentira dessas!
Mas como ela não tem o que mostrar mesmo, eu aposto que a mentira e a irresponsabilidade vão continuar…

E para concluir, a farra de gastos com avião e helicópteros corre
desenfreada. O Portal da Transparência mostra que a Casa Civil em
janeiro e fevereiro deste ano gastou R$ 1.625.913,96 com aluguel de
aeronaves.

Quando um governo aluga aeronaves, está comprando
horas de voo, o que permite pagar preços muito menores, já que essa
mesma aeronave atende outros governos estaduais e empresas privadas.
Aqui com Roseana, não. Uma empresa do Rio Grande do Sul, que dizem não
ter aviões à jato, intermedia uma aeronave, sabe-se lá de quem, a
PP-JSR, bela sigla, que fica permanente em pousada num hangar em São
Luís. E a informação é de que, voando ou não, recebe todo mês R$ 1
milhão. Sem similar. Seria normal se o governo tivesse comprado a
aeronave ou feito um leasing para adquiri-la.

Como ninguém ouviu
falar que o governo comprou um avião, não há justificativa para esse
avião, caríssimo, ficar à disposição o tempo todo para voar apenas
algumas horas.

Falta dinheiro para tudo que é fundamental para o ensino ou para ação social. Para avião, não.

Estranho, não é mesmo?
 
*Ex-governador José Reinaldo Tavares escreve para o Jornal Pequeno às terças-feiras

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Buscar

Mais Lidas

Bastidores fervilham com a proximação da definção de Dino sobre o candidato do grupo
"Tenho convicção que  Edivaldo estará no segundo turno e será vitorioso", diz César Pires
Morre o jornalista Cunha Santos, aos 69 anos
Santa Inês sediará 5ª edição  do ‘Assembleia em Ação’ nesta sexta-feira
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz