12 de julho de 2017

Redação: (98) 98205-4499

12/07/2017 -

Jorge Vieira -

Comente

Deputado denuncia na PF máfia que estaria agindo na prefeitura de Bacabal

Deputado Roberto Costa denuncia existência de máfia em Bacabal

O deputado Roberto Costa (PMDB) denunciou à Polícia Federal a existência de uma máfia que estaria desviando dinheiro da Prefeitura de Bacabal. A informação foi passada pelo próprio parlamentar em discurso nesta manhã de quarta-feira (12) no plenário da Assembleia Legislativa.

Segundo Roberto Costa, a Prefeitura de Bacabal, que tem mais de 60 carros no seu nome, fez uma licitação fraudulenta para aquisição de 54 carros, sendo 19 caminhonetes. O valor de uma caminhonete que custa R$ 5.500,00 foi licitada por R$ 9.500,00. Um preço superfaturado que só tem uma direção, desviar dinheiro da Prefeitura de Bacabal.

Conforme a denúncia do parlamentar, faz parte da organização criminosa que atua na Prefeitura de Bacabal Raimundo Florêncio Monteiro Neto, Florêncio Neto, vice-prefeito da cidade de Bacabal, Patrícia Flávia Braga Vieira, mulher do prefeito de Bacabal, Carlos Gusmão, secretário de Educação do município; e a senhora Fábia Cristina Braga, secretária de Ação Social e irmã da primeira-dama.

“Essa formação de quadrilha que é comandada por Dona Patrícia Vieira e pelo Senhor Florêncio Neto, vice-prefeito, o único intuito que tem é desviar dinheiro da prefeitura. E pasmem, a licitação de quase R$ 4 milhões foi ganha exatamente por duas empresas: a Esmirna Transportes e a Signandes. A Signandes inclusive está sendo acusada, foi matéria do Bom Dia Brasil, por desvio de dinheiro na Prefeitura de Bela Vista. E essa organização criminosa hoje, que está instalada em Bacabal”, enfatizou.

Costa disse ainda que desses R$ 4 milhões, a prefeitura já pagou mais de R$ 1 milhão e “para completar, eles fizeram uma licitação e na hora de homologar essa licitação de oito carros para a Secretaria de Administração, eles homologaram como 88 carros e o que tinha para a Secretaria de Saúde de quatro carros, eles homologaram como 44 carros, por quê? Eles criaram nessa licitação fraudulenta uma ata de registro de preço para levar esta mesma operação criminosa para desviar dinheiro de outros municípios, enquanto a cidade de Bacabal encontra-se completamente abandonada, pois não existe prefeito hoje na cidade”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar

Nossa pagina