Logo Blog
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz

Deputado Bira analisa PEC da Previdência e defende taxação dos bilionários

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB/MA) usou o grande expediente da Câmara, nesta quinta-feira (27), para debater uma questão importante para o Brasil, a reforma da Previdência. A discussão do texto, que acontece desde o início da 56ª Legislatura, está em fase final e foi amplamente analisado. Para Bira, o mercado financeiro é o principal e maior interessado nessa reforma. “Qualquer política pública pode ser ajustada e com a Previdência é a mesma coisa, não há nada que impeça isso, mas precisa ser feito da maneira correta, com responsabilidade e pensando nas pessoas”, frisou.

Na avaliação dele, o texto que chegou à Câmara é um verdadeiro desmonte. “É uma destruição do sistema público e solidário da Previdência no Brasil, ataca os direitos mais elementares da classe trabalhadora, direitos que foram conquistados com muita luta, disse. Bira ainda criticou a posição do ministro da Economia, Paulo Guedes. “O Governo quer tirar dinheiro da economia e ouvimos isso do Guedes, que representa os banqueiros, todos os dias. Muitos não conhecem a realidade do Brasil, não sabem o que é um município do interior do Maranhão. O Guedes representa apenas os banqueiros”, acrescentou.

O parlamentar afirmou que a movimentação do comércio nesses municípios, em grande parte, é feita pelo recurso dos benefícios da aposentadoria, da Previdência Social. “Tirem esse dinheiro da economia e vocês vão ver o impacto negativo que ocorrerá no Brasil inteiro. É óbvio que nós sabemos que existe uma crise no País, mas não se resolve uma crise econômica tirando investimentos, subtraindo recursos que movimentam o comércio, a indústria, que fazem gerar trabalho e renda, que fazem a roda da economia girar! Não é assim”, alertou.

O maranhense também mostrou preocupação com a subtração dos direitos fundamentais do trabalhador. Segundo ele, a PEC vai destruir ainda mais a economia do país, vai gerar desemprego e diminuir a renda do povo trabalhador brasileiro. Apesar de concordar com a necessidade de haver a reforma, o congressista reafirmou que essa, apresentada pelo Governo, “é pura perversidade contra o povo brasileiro”.

O Bira do Pindaré lembrou que o próprio presidente Jair Bolsonaro (PSL) condenava, durante a campanha presidencial de 2018, a Reforma da Previdência apresentada por Michel Temer (MDB), mas que foi capaz de apresentar uma proposta ainda pior. Segundo o deputado, se Bolsonaro tivesse apresentado medidas como essa durante a campanha, não teria sido eleito. “É por isso que sua popularidade cai todos os dias. A pesquisa de hoje divulgada pelo Datafolha mostra esse reflexo direto das medidas prejudiciais ao povo brasileiro que foram adotadas até agora”, comentou.

Em breve avaliação dos seis meses do Governo, o parlamentar sublinhou não poder anunciar nenhuma providência positiva para o Brasil. “Não houve nada que nos dê esperança. É só confusão, é gente presa em ministério, é cocaína em avião presidencial, é só o que vemos! É a família brigando, é ministro sendo demitido! Quando manda o projeto para cá, é para liberar armas, transformar o Brasil num faroeste, num bangue-bangue, vendendo ilusões, como se isso fosse resolver o problema da violência. Não é a solução!”, completou.

Em alusão à primeira grande propaganda do Governo federal sobre a Reforma da Previdência, Bira do Pindaré alertou para uma redundante mentira. “‘Quem ganha menos vai pagar menos e quem ganha mais vai pagar mais’ não pode ser verdade! Se fizermos uma conta simples de matemática podemos verificar que o trabalhador vai pagar mais e vai ganhar menos. A segunda grande propaganda enganosa é o combate aos privilégios”.

O Regime Geral, na explicação do congressista, é o feito pelos trabalhadores e trabalhadoras que tem carteira assinada. “E quem tem carteira assinada são os trabalhadores que estão na base, aqui mesmo no Congresso Nacional. É o garçom que está atrás daquele balcão. É o prestador de serviços gerais que está fazendo o asseio dos banheiros. É o porteiro. É o vigilante. É o motorista. É o gari. É o trabalhador rural. É o pedreiro. É essa gente que tem carteira assinada e ganha, em média, dois salários mínimos, no máximo. Essa é a realidade dessas pessoas”, continuou Bira do Pindaré.

Os trabalhadores e as trabalhadoras que fazem parte desse Regime Geral é quem devem contribuir, segundo a PEC da Previdência, com mais de 80% daquilo que o Governo que arrecadar na sua economia. “Portanto, ele não está combatendo privilégios. Ele está tirando o dinheiro dos pobres, para dar para os ricos e poderosos, que são os donos dos bancos, os grandes beneficiários dessa reforma da Previdência.”

Para concluir o discurso, Bira do Pindaré citou a lista de milionários feita pela revista Forbes no Brasil. “Eu li apenas os nomes dos 10 mais ricos! Então, a pergunta é: por que essas riquezas não são taxadas? Um grupo de 19 bilionários nos Estados Unidos assinou uma carta aberta em que defendem a criação de um imposto federal e estão se propondo a ajudar o próprio governo americano. Por que os bilionários daqui do Brasil não fazem o mesmo?”, concluiu o parlamentar ao defender que é esse exemplo que o presidente Bolsonaro, que beija a bandeira americana, tem que seguir.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Buscar

Mais Lidas

Consolidação da aliança nacional PT/PSB sepulta esperança de Weverton Rocha
Brandão mantém preferência e será confirmado como candidato do  grupo Dino
"As portas do PSB estão abertas para Brandão", diz deputado Bira
Weverton tenta se fazer de vítima ao perder “queda de braço” para Brandão
aplikasitogel.xyz hasiltogel.xyz paitogel.xyz