4 de julho de 2017

Redação: (98) 98205-4499

04/07/2017 -

Jorge Vieira -

(1)

Comparado a “Justo Veríssimo”, deputado Edilázio insinua que lugar de pobre é na periferia

Almofadinha, Edilázio quer pessoas carentes longe de área nobre na Ponta do Farol

Somente um político sem qualquer sentimento humanitário, tipo o personagem Justo Veríssimo criado pelo genial Chico Anísio, poderia se manifestar da forma como o deputado Edilázio Júnior (PV), um dos remanescentes da oligarquia, se posiciona contra a transformação da casa de festas nababescas dos governadores ligados  ao grupo Sarney em Casa de Apoio do Projeto Ninar, um programa do Governo do Maranhão para atender crianças com microcefalia e outras doenças de desenvolvimento neurológico.

Movido provavelmente por uma tremenda dor de cotovelo, pois só isso justificaria sua incorporação no personagem Justo Veríssimo, cujo bordão era “quero que pobre se exploda”, Edilázio criticou o governador por destinar um espaço nobre para tratar de crianças que necessitam de cuidados especiais e por não ter vendido a casa de veraneio conforme havia prometido na campanha, ignorando o grande alcance social do programa.

Na tribuna, num inflamado pronunciamento, Edilázio, que é genro da polêmica desembargadora Nelma Sarney,  deixou claro que lugar de pobre é na periferia, jamais num área onde o metro quadrados é um dos mais caros de São Luís.

“O governador Flávio Dino passou toda a campanha dizendo que ia vender a casa de veraneio e ia investir esse dinheiro na saúde pública do estado, e assim ele não fez. E quando nós vamos falar desse projeto Ninar, ele se encontra no metro quadrado mais caro de nossa capital. Ali os vizinhos da Casa Ninar não vão utilizar, todos têm condição de pagar um particular se, por ventura, tiverem um filho com a microcefalia ou com alguma deficiência. Quem vai precisar do Projeto Ninar é quem está na periferia, é quem está na zona rural, é quem está no interior do estado e vai ter toda essa dificuldade para se deslocar até a antiga casa de veraneio”, disse.

O pronunciamento carregado de ódio do parlamentar, que já está sendo chamado de Justo Verissimo, por conta de seu discurso de que lugar de pobre é na periferia, gerou até reação do ex-presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão, Gervásio dos Santos Júnior. Segundo o magistrado postou em sua página no Twitter  “é fruto da cultura de classes a crítica de que serviços destinados à população de baixa renda não deve se situar em áreas nobres da cidade”.

2 comments on “Comparado a “Justo Veríssimo”, deputado Edilázio insinua que lugar de pobre é na periferia”

  1. Washington Luís disse:

    Só podia ser um deputado dessa Corsa que atrazou o Maranhão cinqüenta anos com esse pensamento atrazado espero que a grande maioria do povo do Maranhão não releege uma pessoa como essa um tremendo riquinho safado pblboy

  2. Justiceiro disse:

    Esse ai viajava por conta do estado pra jogar baralho. Tudo pago com nosso dinheiro. Eu pergunto quem votou nesse almofada?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar

Nossa pagina