Apelos para retornar ao trabalho de mãos vazias não sensibilizam e greve dos policiais continua – Jorge Vieira

28 de novembro de 2011

Redação: (98) 98205-4499

28/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

Apelos para retornar ao trabalho de mãos vazias não sensibilizam e greve dos policiais continua

A greve continua. De nada adiantaram os apelo da governadora e dos coronéis para que os policiais voltem ao trabalho sem conquistas para depois iniciar as negociações sobre a pauta de reivindicações, que, na prática, se resume a questão da recuperação das perdas salariais pretendidas.
As lideranças do movimento, que já foram enganadas na primeira tentativa de paralisação, com essa mesma desculpa, só aceitam retornar às atividades após a governadora descer de sua arrogância e sentar para negociar condições dignas de trabalho para a Policia Militar e Corpo de Bombeiros.
Abaixo publico a nota oficial que acaba de ser emitas pelo governo Roseana Sarney com a proposta de retorno ao trabalho que foi rechaçada pelos policiais. Apelo semelhante já havia sido feito por coronéis, após a reunião que tiveram hoje pela manhã no Quartel da PM.      

Para mostrar que não estão para brincadeira, familiares dos policiais saíram ontem em paseata do Sítio Rangedor até o Palácio dos Leões para protestar contra a intransigência da governadora. Para hoje, está programada uma grande passeata de setores organizados da sociedade em defesa das reivindicações dos policiais.         

GOVERNO DO MARANHÃO
SECRETARIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL
NOTA OFICIAL
O Governo do Estado do Maranhão, em razão da greve que alguns setores da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros realizam desde a semana passada, vem prestar ao povo maranhense os esclarecimentos que se seguem:
A greve é ilegal e foi assim declarada pelo Tribunal de Justiça do Maranhão.
O Artigo 142, Parágrafo 3º, IV.] 4 da Constituição proíbe expressamente a greve dos militares.
Em face de uma greve ilegal e que conta com a participação de pessoas estranhas à tropa, inclusive oriundas de outros estados, o Governo do Estado requisitou à Presidente da República, Dilma Roussef, na forma da lei, a presença da Força Nacional e das Forças Armadas – Exército, Marinha e Aeronáutica – para se somarem aos nossos PMs que permaneceram no cumprimento do dever na proteção do povo maranhense. Da presidente, o Maranhão recebeu total solidariedade e pronto atendimento.
O Governo não é insensível às reivindicações do funcionalismo civil e militar. Isso ficou demonstrado no atendimento de antigas demandas dos militares, tais como:
a)           Em maio de 2009 foi extinta Lei dos Subsídios, a LEI DO CÃO, e de imediato foram incorporados aos salários dos militares ganhos reais de até 27%;
b)           O interstício, que é o tempo de serviço para a promoção na carreira militar, foi reduzido à metade;
c)            A força de segurança pública do Maranhão foi retirada da humilhante situação de só se locomover com carros alugados, velhos e inadequados para o serviço de patrulhamento. Foram compradas mais de 800 viaturas novas, modernas e bem equipadas para as polícias, não deixando uma só cidade sem a sua segurança motorizada;
d)           Ha dois meses, o salário refeição foi aumentado em até 150%.
De tal forma que, hoje, somados salário e vale refeição, os soldados maranhenses são dos mais bem pagos do Brasil, melhor remunerados que os do Rio de Janeiro, Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul (veja o quadro abaixo):
Neste momento o Governo do Estado estuda, dentro de suas reais possibilidades, uma nova política salarial para os servidores civis e militares, para os próximos 4 anos.

Trata-se de enorme esforço do governo para dar melhores salários e melhores condições de trabalho à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros, num estado que, em comparação aos que pagam menos, como Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Sul, tem uma das menores arrecadações do Brasil.
O Governo faz um apelo a todos os que estão envolvidos com esta greve ilegal, que retornem aos quartéis e cumpram com o seu dever constitucional de dar segurança à população, combater o crime e o banditismo.
Governo do Maranhão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar

Nossa pagina