21/08/2014

A Prefeitura de São Luís recebeu do Ministério da Saúde (MS) avaliação positiva em relação à vacinação contra raiva na capital maranhense. O serviço, executado através da Vigilância Epidemiológica e Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde (Semus), garantiu a cobertura de 97% para controle da enfermidade, cumprindo todos os pré-requisitos exigidos pelo governo federal para controle da doença.

Segundo a superintendente de Vigilância Sanitária da Semus, Terezinha Lobo, a avaliação do MS reforça o compromisso do prefeito Edivaldo com a saúde pública. “Temos como orientação zelar também pelo bem estar dos animais, o que, de certa forma, contribui para a saúde da população como um todo. Por meio da intensificação de campanhas de imunização na cidade, com a promoção de dias D de controle, conseguimos atingir este dado positivo”, afirmou.

Terezinha Lobo ressaltou que, devido às ações de imunização, o município afastou qualquer possibilidade de surto da doença. “Temos um controle efetivo, no momento, da doença. Estaremos sempre atentos a qualquer caso de suspeita da enfermidade na cidade. Porém, a população pode ficar tranquila que tudo foi feito para garantir a segurança de todos”, destacou.

A vacina contra a raiva está à disposição de segunda a sexta-feira na sede do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), na Cidade Universitária Paulo VI, no São Cristóvão. O telefone do CCZ é o 3212-2816.

 

O candidato da Coligação Todos Pelo Maranhão, Flávio Dino, defendeu a transformação do modelo político do Estado baseado em três pilares: igualdade de oportunidade, proximidade da gestão com a sociedade e honestidade. A declaração foi dada durante debate promovido pela Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese de São Luís (CJP) na noite desta quarta-feira (20), na sede da OAB/MA.

“Vamos convidar a sociedade para participar efetivamente do governo e primar pela honestidade na aplicação do dinheiro público para combater as graves injustiças no Maranhão e acabar com o culto à personalidade. Os secretários vão ter que conhecer o Estado, e não a dimensão do poder”, afirmou ao ser questionado sobre as primeiras ações de governo.

Durante o debate, Flávio Dino apresentou medidas voltadas para melhorar a qualidade dos serviços públicos de saúde aos maranhenses. Defendendo a participação social e a estruturação do SUS junto aos municípios, lembrou que o Estado é o que possui a menor relação de médicos por habitantes.

Entre as ações citadas e que constam do Programa de Governo, ele falou do Mais Médicos Estadual como caminho transitório para formação de profissionais, apoio aos cursos de Medicina, investimento no Provab como forma de reforçar a atenção básica, reestruturação das UPAs e conclusão dos hospitais regionais, trabalho iniciado pelo ex-governador Jackson Lago.

Governo participativo - Identificado com a luta de movimentos sociais, Flávio Dino reiterou o compromisso com a promoção da cidadania, na defesa de políticas públicas e direitos humanos. “Precisamos garantir que os setores que vivem na invisibilidade em gestões anteriores que participem das ações de governo, respeitar as ações dos conselhos de direitos, que não devem apenas ser ouvidos, mas também agir junto. Defendo um governo participativo para os movimentos sociais”, reiterou.

Sobre a dificuldade de centenas de moradores que buscam atendimento de saúde em outros Estados do país, como os que vivem na margem do Rio Parnaíba, o candidato criticou a falta de compromisso do governo atual, que não tem feito os repasses ao Piauí, por exemplo, resultando na falta de assistência aos maranhenses da região que buscam as unidades saúde. Como proposta, Flávio defendeu a valorização do sistema para acabar com a itinerância dos maranhenses. “A situação é muito mais ampla, maranhenses vão para outros Estados porque o modelo não atende as necessidades”, analisou.

Organizado pela CNBB, o debate contou com a presença de representantes da Arquidiocese de São Luís, membros de movimentos católicos, religiosos e sociais, além de lideranças políticas.
A bruxa tá solta! O deputado Bira do Pindaré (PSB) acaba de sofrer um acidente na MA 209, em Turiaçu, mas felizmente, segundo acaba de informar sua assessoria, não houve feridos. O parlamentar estava deixando o município, em companhia de três assessores, quando próximo ao povoado Canarinho surgiu uma moto na contramão. Para não atropelar o motoqueiro, o motorista desviou e colidiu com um poste que cai por cima do veículo.

O carro do deputado ficou parcialmente destruído, mas ele passa bem, assim como a equipe que foi auxiliá-lo durante uma reunião em que lideranças do município manifestaram apoio à sua reeleição.    

Pelo visto as estradas mal conservadas do Maranhão estão se construindo em um perigo a mais para os políticos em campanha pelo interior do Maranhão.  A deputado Eliziane Gama, logo no início da campanha, sofreu um grave acidente em que teve perda total do veículo, Rubens Júnior se envolveu em outro grave acidente que teve como consequência a mote do condutor do veículo colidido, e hoje, além dos assessores do deputado Antonio Pereira, o deputado Bira do Pindaré se constitui em mais uma vítima.    

Por unanimidade, a Câmara Municipal de São Luís aprovou, nesta semana, moção de repúdio às operadoras de telefonia celular que atuam na capital  maranhense. A proposta foi apresentada pelo vereador Francisco Carvalho (PSL) que usou, como justificativa, o fato das referidas empresas não prestarem um serviço de qualidade aos milhares de usuários.

-Estou solicitando ao prefeito Edivaldo Holanda Júnior que casse os alvarás de funcionamento das empresas OI, Tim e Claro, por conta dos péssimos serviços prestados na cidade, disse Francisco Carvalho, afirmando que o problema vem tomando proporções inimagináveis.

De acordo com o representante do PSL, a partir da privatização do serviço de telefonia e do advento da telefonia celular, a telefonia convencional perdeu espaço, destacando que são poucas as residências atualmente dotadas de telefones fixos. Por conta disso, ela afirma que quase 100% da população utiliza é telefone móvel.

“É bem aí que está o problema. As operadoras não dispõem de suporte técnico para a grande demanda e assinam milhares de contratos, provocando toda a celeuma . Por isso é que peço ao prefeito que suspenda os alvarás de funcionamento das empresas que não venham a se enquadrar num serviço satisfatório à população”, finaliza Francisco Carvalho.


Zé Luís virou laranja 
São cada vez mais evidentes a aproximação dos candidatos Edinho Lobão (PMDB) e Zé Luís Lago (PPL). Até quando um falta a debate o outro também se ausenta em solidariedade. No debate da TV Guará, a tabelinha entre os dois funcionou uma maravilha.

Em determinado ponto do debate, Zé Luís passou a se comportar como linha auxiliar da oligarquia, que cassou o mandato do irmão dele, ex-governador Jackson Lago, e levantar a bola para Edinho chutar.

O papel de laranja desempenhado pelo candidato do PPL ficou ainda mais evidente quando ele pediu para Edinho explicar o horário em que acorda e começa a trabalhar.

Edinho, que ao contrário do que tenta passar para a população, nunca foi chegado a trabalho e enriqueceu quando o pai governou o estado, disse que começava a trabalhar às 9h e sua fala virou vírus na internet. Coube a Zé Luís a missão de pedir que ele esclarecesse e ele fez mudando todo o sentido da declaração anterior.

Ontem, os dois candidatos correram do debate promovido pela Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Luís, no auditório da OAB-MA. Segundo comentam nos bastidores, Edinho e Zé Luís combinaram em não aparecer para evitar desgaste ainda maior na imagem do peemdebista que se saiu muito mal no primeiro debate e temia ser triturado pelos postulantes mais preparados.      
O deputado estadual Raimundo Cutrim (PCdoB) denunciou, na Assembleia Legislativa, a farra de convênios promovida pelo governo Roseana Sarney, em que milhões em recursos públicos foram despejados nos cofres de municípios governados por prefeitos aliados do grupo Sarney.

Em uma única canetada, na véspera do inicio da campanha eleitoral, foram liberados R$ 70 milhões em recursos administrados pela Secretaria de Saúde do Maranhão, comandada pelo secretário Ricardo Murad, cunhado da governadora.


Parte dos aliados de Roseana e Ricardo Murad contemplados com ajuda financeira na véspera das eleições
“No dia 02 de julho, o Estado pagou R$ 70 milhões. Está aqui o Diário Oficial do Estado do Maranhão. É público que o governo está despejando dinheiro para campanha. Existem municípios com a população de 24 mil pessoas que receberam 10 milhões de reais, fundo a fundo. É aquele dinheiro o prefeito não presta conta. Gasta do jeito que quer na campanha”, denunciou.

Cutrim disse acreditar que o governo de Roseana está comprando alianças por meio destes convênios, pressionando os gestores contemplados a se empenharem na campanha eleitoral do candidato a governador apoiado pelo grupo, Edinho Lobão (PMDB), e nos deputados estaduais e federais alinhados ao Palácio dos Leões.

O parlamentar cobrou uma maior fiscalização do Ministério Publico do Maranhão, principalmente pela falta de critério na distribuição dos recursos, e anunciou que pretende acionar o Parquet para coibir mais essa tentativa de fraudar o resultado das eleições e mudar a vontade do povo maranhense. (Blog Marrapá)

 

20/08/2014

Após nova rodada de negociação entre a Prefeitura de São Luís e o comando de greve, intermediada pelo Ministério Público, o Sindicato dos Professores da rede municipal (SindEducação) decidiu em assembleia geral encerrar a greve de fome, na noite desta quarta-feira, 20.

A decisão ocorreu depois de mais um gesto feito pelo governo municipal visando o entendimento com representantes da categoria. Pela proposta apresentada, a Prefeitura suspendeu o lançamento das faltas, que ensejariam descontos nos vencimentos dos professores participantes do movimento.

O Sindeducação, por sua vez, trabalhou junto aos grevistas o fim da greve de fome, aprovada em assembleia.

As negociações avançam com a Prefeitura trabalhando para viabilizar a reforma de 54 unidades de ensino, para dar melhores condições de trabalho para os docentes e de aprendizado para os estudantes. O processo está em fase de licitação para escolha da empresa que fará o serviço. O objetivo é iniciar as obras tão logo a empresa vencedora seja definida.

Também foram apresentadas entre as propostas a celeridade no processo de aposentadoria de professores, cujos critérios foram obedecidos; elaboração de edital de concurso público para a contratação de novos professores; eleição direta para diretores de escolas e implantação de direitos a partir de 2015.

Em 2013, a categoria de professores recebeu reajuste de 9,5%, um dos maiores entre as capitais brasileiras. Também foram garantidas progressões horizontais e verticais que estavam paradas, há vários anos.




O deputado disse que São Luís tem mais de um milhão de habitantes
e não recebe convênios do governo por perseguição política
O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) chamou a atenção, na sessão desta quarta-feira (20), para a forma como o governo do Maranhão discrimina a cidade de São Luís e lamentou que as diferenças político-partidárias sejam o único critério utilizado pelo Estado para mandar convênios e recursos aos municípios maranhenses. “Sabe quantos reais e quantos convênios o Executivo fez com a Prefeitura de São Luís, de janeiro de 2013 para cá? Nenhum, zero”, comentou.

Othelino disse que São Luís tem mais de um milhão de habitantes e não é beneficiado com convênios do governo por perseguição política. Segundo ele, a governadora trata o recurso público como se fosse dela. “Só recebem os recursos do Estado aqueles que são submissos ao grupo político que comanda e que destroi o Maranhão há mais de 50 anos”, frisou.

Segundo Othelino, de janeiro de 2013 até hoje, os municípios de São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa tiveram, juntos, R$ 25 milhões, e até deveriam ter recebido bem mais que isso, assim como São Luís poderia ter sido beneficiada da mesma forma e não foi.

De acordo com o deputado, ao contrário de receber recursos para obras, São Luís ainda tem que repassar para os cofres do Estado R$ 2 milhões por mês, referentes a convênios firmados com a Prefeitura, durante o governo Jackson Lago, para construção de viadutos e que o governo Roseana Sarney ingressou na Justiça para ter os recursos de volta.

No pronunciamento, Othelino criticou o candidato a governador do grupo Sarney, Lobão Filho, por ter falado, durante debate na TV Guará,  de “desastre administrativo em São Luís”. “Desastre é o que eles fizeram e estão fazendo com o Maranhão. A capital maranhense sofre discriminação pura, mesquinharia, práticas não republicanas. É assim que o governado do Maranhão age e ainda querem falar de desastre”, afirmou.

Crises do grupo Sarney

Para o deputado, antes de ficar olhando para a Prefeitura de São Luís, seria bom que o grupo Sarney se voltasse para as suas próprias crises, administrativa e ética, que estão expostas nacionalmente e para o fato de só ter Edinho Lobão como opção para apresentar como candidato a governador. “Então é bom olhar para o próprio umbigo. Não adianta tentar desqualificar a mudança, porque o que a qualifica e o que a estimula é o estado de pobreza em que está o Maranhão”, disse.

Othelino disse que a perseguição à cidade de São Luís está acabando no dia 31 de dezembro deste ano. Segundo ele, assim o eleitor da capital maranhense vai saber o que é ter um governador republicano, que trabalhará pela cidade e que não vai discriminar prefeito, simplesmente, porque não é de seu partido ou do seu grupo político.

O deputado acrescentou que o candidato da coligação “Todos pelo Maranhão”, Flávio Dino, tem dito que receberá todos os prefeitos caso seja eleito governador, independente de serem aliados ou adversários.
Design de NewWpThemes