8 de novembro de 2018

Redação: (98) 98205-4499

08/11/2018 -

Jorge Vieira -

Comente

Secretaria de Direitos Humanos de Paço repudia agressão de advogado a radialista

Advogado agressor de mulher quer se fazer de vítima

O caso de violência praticado contra a radialista Adriana Santos pelo truculento advogado Eduardo Cruz, ligado ao grupo político que assaltou o município de Paço do Lumiar por longos anos e não se conforma com a perda do poder, continua tendo grande repercussão no Estado. Nesta quinta-feira (8), a Secretaria Municipal de Direitos Humanos, através da Coordenação da Mulher emitiu nota de repúdio ao agressor, que continua impune e zombando da vítima em redes sociais. Veja abaixo a íntegra da nota.

NOTA DE REPÚDIO: CHEGA DE VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

A Secretaria Municipal de Direitos Humanos de Paço do Lumiar, por meio da Coordenação da Mulher, vem manifestar publicamente seu mais profundo repúdio ao episódio ocorrido na última quarta-feira (7), no conjunto Maiobão, onde o advogado Eduardo Cruz agrediu verbal e fisicamente sua ex-namorada, a radialista Adriana Santos.

Mais uma vez a sociedade luminense assiste à culpabilização da vítima, pois nas redes sociais o agressor e seus amigos tentam camuflar e justificar a agressão, que até o momento segue impune. O lamentável ocorrido reforça o sexismo e o machismo exacerbado existentes em nossa sociedade, que ainda preserva características patriarcais e enxerga a mulher como mero objeto sexual, uma concepção formulada por uma sociedade que permanece estruturalmente machista.

A busca pela efetivação dos direitos humanos das mulheres tem como objetivo o enfrentamento a todas as manifestações que tentam legitimar, naturalizar ou justificar a violência de gênero, como vem tentando fazer o agressor Eduardo Cruz. Assim, agredir uma mulher, seja por qualquer motivo ou circunstância, é um ato covarde, desprezível e injustificável.

O que nos causa extrema preocupação ao ver a população tratando a violência contra mulher com tanta naturalidade são os dados alarmantes de feminicídios no Maranhão, que até agosto chegaram a 25 casos. Aqui em nosso município os casos estão ficando frequentes. Acompanhamos a triste morte da menina Alana Ludmila, assistimos ao drama de uma mulher esfaqueado pelo marido e pudemos ver até mesmo a primeira-dama desta cidade, senhora Nubia Feitosa, levar três tiros ao tentar ajudar outra mulher.

Diante desse triste e real cenário, é necessário que as mulheres rompam com o silêncio que as aprisiona em relações de dominação e violência, mas é igualmente importante o envolvimento da sociedade. Entre tantas urgências, nos manifestamos pela garantia dos direitos humanos das mulheres, que implica na plena efetivação da Lei Maria da Penha e por uma educação que favoreça uma cultura não sexista capaz de combater o machismo e a violência contra as mulheres.
Solicitamos e aguardamos um posicionamento da OAB-MA e do Sindicato dos Radialistas em relação ao ocorrido.

DENUNCIE A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER! LIGUE 180

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina