Relator do processo de cassação de Roseana se livra do garrote do Sarney – Jorge Vieira

28 de novembro de 2012

Redação: (98) 98205-4499

28/11/2012 -

Jorge Vieira -

Comente

Relator do processo de cassação de Roseana se livra do garrote do Sarney

Gurgel engavetou o processo de cassação de Roseana
O procurador
geral da República, Roberto Gurguel, relator do processo de cassação da
governadora Roseana Sarney no Ministério Público, já não precisa mais do manto
protetor do presidente do Senado, caso prosperasse o pedido de investigação
contra ele feito pelo relator da CPI do Cachoeira, e já pode emitir seu parecer
sem o garrote no pescoço colocado pelo senador José Sarney (PMDB-AP).
Nesta
manhã de quarta-feira (28), o deputado Odair Cunha (PT-MG) comunicou aos
integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito que retirou do texto o pedido
de indiciamento de jornalistas e de investigações do procurador-geral da
República.
Gurguel,
numa atitude que levantou suspeita, por está envolvido no julgamento do
mensalão do PT, avocou para ele a relatoria da cassação Roseana e nunca mais
devolveu o processo para julgamento do Tribunal Superior Eleitoral, onde tida
como certa a cassação dela e do vice Washington Oliveira (PT), por abuso de
poder político e econômico nas eleições de 2010.

O procurado geral há mais de cem dias está sentado no processo e, por este e
outros motivos, está sendo acusado de retardar o julgamento da governadora que
se elegeu realizando convênios que totalizaram quase R$ 1 bilhão em troca de
votos.
O
jornalista Paulo Henrique Amorim, em seu blog Conversa Afiada, afirma que
“há quem veja nessa morosidade um conluio entre o senador Sarney, pai da
governadora, e Gurgel. Sustentam essa hipótese renitentes coincidências. José
Arantes, assessor parlamentar do procurador-geral foi assessor parlamentar de
Sarney na Presidência da República. Seria apenas um detalhe curioso?”
Conversa
Afiada diz mais: “Há problemas concretos. Um deles, já denunciado nesta
coluna, levou o presidente da Câmara quase à exasperação. Na terça-feira 20, o
deputado Marco Maia criticou pública e duramente o Senado pela morosidade em
votar a indicação do professor Luiz Moreira, já aprovada pelos deputados, para
o Conselho Nacional do Ministério Público (CNPM)”.
Seria
“morosidade gurgeliana”?
“Ou
seja, a indicação estaria bloqueada por Sarney em favor de Gurgel? Gurgel teria
bloqueado o processo de Roseana em favor de Sarney? Finalmente, haveria nessa
história uma vergonhosa troca de favores?”, questiona Amorim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar

Nossa pagina