14 de setembro de 2011

Redação: (98) 98205-4499

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

O deputado Bira do Pindaré (PT) responsabiliza o governo Roseana Sarney pelo péssimo desempenho das escolas da rede pública no Enem – Exame Nacional de Ensino Médio.  “Somos o último lugar em qualidade do ensino médio do País. Como se não bastasse 20% da população que não sabe nem ler e nem escrever, metade que […]

O deputado Bira do Pindaré (PT) responsabiliza o governo Roseana Sarney pelo péssimo desempenho das escolas da rede pública no Enem – Exame Nacional de Ensino Médio.
 “Somos o último lugar em qualidade do ensino médio do País. Como se não bastasse 20% da população que não sabe nem ler e nem escrever, metade que não consegue chegar nem a encerrar o ensino fundamental, mais da metade não consegue concluir o ensino médio e quem consegue concluir o ensino médio tem as piores notas do Brasil, e, naturalmente, que isso não é culpa e não é responsabilidade nem do estudante, nem dos professores”, protestou o deputado.
Segundo o petista esse é um problema que deve ser resolvido pelo sistema de ensino maranhense, com replanejamento, que é de responsabilidade da Secretaria de Educação do Governo do Estado. O deputado destacou a Audiência Pública que tratou do Planejamento de Educação, afirmando esperar que o Plano Plurianual aponte uma direção positiva para que se enfrente a situação da educação no Maranhão.
“Quando critiquei a iniciativa do governo que diz respeito à profissionalização dos maranhenses, fiz uma observação construtiva, pois antes de pensar na profissionalização temos que pensar na escolaridade. A profissionalização deve vir acompanhada da escolaridade” esclareceu Bira.
Conforme o Parlamentar essa é a experiência que tem respondido positivamente no Brasil, através dos IFMAs, associando escolaridade com profissionalização e a valorização dos professores e profissionais da educação. A situação dos professores já foi resolvida no Supremo Tribunal Federal, cabe ao Governo do Estado reconhecer a importância da classe trabalhadora e cumprir o acordo.
“O principal vetor para a consolidação e o desenvolvimento da Educação no Maranhão, sem dúvida nenhuma, é a pessoa humana, é o profissional, é o professor, são os técnicos, portanto, são esses que precisam ser valorizados. Então, há um enorme debate para se fazer. O que se queremos é que esses indicadores nos auxiliem a encontrar soluções para os problemas que nós temos, pois não podemos esconder o sol com a peneira”, pontuou ele.
Para o deputado um dos passos para resolver o problema da educação no Estado é reconhecer que ele existe. Pois, os estudantes e professores sofrem muito, não só com os resultados do ENEM, mas com o desenrolar da educação pública no Maranhão, que acaba resultando nos índices de educação.
“A dificuldade do governo em implantar um sistema eficiente é a causa deste resultado triste  e desastroso” Finalizou.
Leia Mais

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

Blogueiros a serviço da oligarquia Sarney entraram em desespero com os números da pesquisa apresentados pelo Instituto Amostragem, que revelam o pífio desempenho do secretário de Infraestrutura Max Barros na corrida pela prefeitura de São Luís.     A estratégia é tentar confundir o eleitorado, apresentando o pré-candidato como se tivesse em franco crescimento, já alcançando […]

Blogueiros a serviço da oligarquia Sarney entraram em desespero com os números da pesquisa apresentados pelo Instituto Amostragem, que revelam o pífio desempenho do secretário de Infraestrutura Max Barros na corrida pela prefeitura de São Luís.    
A estratégia é tentar confundir o eleitorado, apresentando o pré-candidato como se tivesse em franco crescimento, já alcançando 6 por cento das intenções de voto, quando na realidade possui apenas 3,63 %, ficando muita atrás de Flávio Dino (PCdoB), Edivaldo Holanda Júnior (PTC), Bira do Pindaré (PT), Tadeu Palácio (sem partido) e Eliziane Gama (PPS).   
Os serviçais da oligarquia, salvo raras exceções, no entanto, querem dar a entender que o sisudo Max Barros inicia a caminhada rumo ao Palácio de La Ravardiere em franca ascensão, quando, na prática, não consegue ultrapassar sequer a deputada Eliziane Gama, mesmo dispondo de toda estrutura governamental e do Sistema Mirante de Comunicação.
Pagos com veiculação de anúncios da “Via Expressa” em seus blog’s, alguns deles postam qualquer mentira com o intuito de confundir incautos sobre o quadro pré-eleitoral da capital.
Os “espertinhos” estão se aproveitando de uma projeção feita pelo Amostragem com um quadro de candidatos bem enxuto em que Max aparece com 6,17%, mas não citam que neste mesmo cenário Flávio Dino tem 54% e João Castelo 20%. Ele ficaria à frente apenas de Marcos Silva com 3,83%.     
Leia Mais

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

A cara de pau da turma do Sarney no tem limite. Espécie de “bobo da oligarquia”, o folclórico suplente de deputado federal Francisco Scórcio (PMDB) pediu para tornar sem efeito, na manhã desta quarta-feira, a exoneração do servidor Adão dos Santos Ferreira, que atuava como chofer da mulher do ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB). […]

A cara de pau da turma do Sarney no tem limite. Espécie de “bobo da oligarquia”, o folclórico suplente de deputado federal Francisco Scórcio (PMDB) pediu para tornar sem efeito, na manhã desta quarta-feira, a exoneração do servidor Adão dos Santos Ferreira, que atuava como chofer da mulher do ministro do Turismo, Pedro Novais (PMDB).

O link “Transparência”, da Câmara, que informa os nomes e a lotação de todos os servidores da Casa, não mais incluía o nome de Adão na manhã de hoje.
Apesar das informações oficiais, Scórcio vem negando a exoneração. Hoje divulgou nota hoje na qual “esclarece a todos que o servidor Adão dos Santos Ferreira não foi exonerado e é funcionário do gabinete”.
Leia Mais

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

NATUZA NERY CATIA SEABRA ANA FLOR O deputado Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB na Câmara e avalista de Pedro Novais no Ministério do Turismo, deverá fazer uma reunião com o correligionário na manhã desta quarta-feira para definir os termos da sua demissão. O Palácio do Planalto espera para hoje a saída de Novais, […]

NATUZA NERY
CATIA SEABRA
ANA FLOR
O deputado Henrique Eduardo Alves (RN), líder do PMDB na Câmara e avalista de Pedro Novais no Ministério do Turismo, deverá fazer uma reunião com o correligionário na manhã desta quarta-feira para definir os termos da sua demissão. O Palácio do Planalto espera para hoje a saída de Novais, a pedido.
A situação do ministro ficou insustentável no Planalto e dentro de seu próprio partido depois de duas revelações da Folha: a de que ele pagou com dinheiro público o salário de sua overnanta por sete anos e a de que sua mulher usa irregularmente um funcionário da Câmara dos Deputados como motorista particular.
“O PMDB vai apoiar a decisão de Novais, qualquer que seja ela, para que ele se sinta confortável”, disse Eduardo Alves após reunião com a bancada do PMDB, nesta manhã.
Há nove meses, Novais já havia sido acusado de custear as despesas de um motel com dinheiro da Câmara.
Recentemente, sua pasta esteve no centro de investigação policial que prendeu vários servidores e quase toda a cúpula do Ministério.
Em evento na manhã desta quarta-feira, a presidente Dilma Rousseff afirmou que conversará ainda hoje com Novais.
A nomeação de Pedro Novais nunca foi vista com entusiasmo pela presidente. A indicação só vingou porque Eduardo Alves, líder influente na bancada, chancelou o nome do aliado.
Caso realmente deixe a pasta, essa será a quarta baixa no ministério de Dilma Rousseff relacionada a suspeitas de irregularidades.
Sérgio Lima – 8.set.11/Folhapress
Motorista pago para trabalhar na Câmara leva mulher de ministro Pedro Novais (Turismo) às compras
Motorista pago para trabalhar na Câmara leva mulher de ministro Pedro Novais (Turismo) às compras
Leia Mais

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

Vice-presidente Michel Temer também dá sinais de que não deseja mais manter seu correligionário no cargo Ideli Salvatti cobra explicações de Novais publicamente; PMDB já discute nomes para eventual substituto NATUZA NERY MARIA CLARA CABRAL DE BRASÍLIA O ministro do Turismo, Pedro Novais, 81, ficou isolado ontem ao perder o apoio de setores do PMDB […]

Vice-presidente Michel Temer também dá sinais de que não deseja mais manter seu correligionário no cargo

Ideli Salvatti cobra explicações de Novais publicamente; PMDB já discute nomes para eventual substituto

NATUZA NERY
MARIA CLARA CABRAL
DE BRASÍLIA

O ministro do Turismo, Pedro Novais, 81, ficou isolado ontem ao perder o apoio de setores do PMDB que ainda apostavam na chance de sua manutenção.
 

A presidente Dilma Rousseff demonstrou a aliados sinais de que espera que o ministro peça demissão.
 
A avaliação geral no Executivo é que a situação do titular da pasta ficou ainda mais delicada após reportagem da Folha revelar que ele usou recursos públicos para pagar uma governanta.
 
O deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), a única liderança do partido que saiu em defesa de Novais ontem à tarde, à noite já discutia no partido nomes para a sucessão do ministro.
 
Nem mesmo o vice-presidente Michel Temer dá demonstrações de que deseja manter o correligionário.
 
Segundo a Folha apurou, o Planalto prefere uma saída “a pedidos”, pois uma demissão à revelia poderia acentuar a insatisfação da legenda em relação ao governo.
 
O partido reclama do pouco espaço político nas decisões e das nomeações represadas para o segundo escalão do governo.
 
Para dois importantes interlocutores da presidente, entre manter o ministro alvejado por denúncias e administrar o desgaste de uma nova baixa, a segunda opção ainda parece a melhor.
 
Em nove meses, Dilma perdeu quatro auxiliares diretos, três deles por problemas de ordem ética.
 
Conforme relatos obtidos pela Folha, a presidente ficou irritada ao tomar conhecimento de mais uma polêmica envolvendo o auxiliar.
Há nove meses, Novais já havia sido acusado de custear as despesas de um motel com dinheiro da Câmara.
 
Recentemente, sua pasta estava no centro de investigação policial que prendeu vários servidores da pasta.
 
A nomeação de Pedro Novais nunca foi vista com entusiasmo pela presidente Dilma. A indicação só vingou porque Eduardo Alves, líder influente na bancada, chancelou o nome do aliado.

REFORMA MINISTERIAL
 
Para o PMDB, a melhor alternativa seria aguardar uma reforma para exonerar o ministro, mas nenhum dirigente de peso dá sinais de que pretende transformar essa solução em bandeira.
A mudança na equipe está prevista para ocorrer em 2012.
 
Ontem, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) foi questionada sobre as atividades do colega.
 
“Ele é quem deve responder. O comportamento da presidente tem sido o mesmo: que preste todos os esclarecimentos. O modelo é esse”, afirmou a articuladora política do governo Dilma.
Nas crises que resultaram na queda de ministros, o protocolo foi um só: cabe ao ministro-alvo dar argumentos convincentes para salvar a própria pele. Até agora, nenhum resistiu à pressão.
Leia Mais

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

Trabalhadores dizem que a paralisação ocorre por considerar a contraproposta dos Correios às reivindicações insatisfatória AE Os funcionários dos Correios entrarão em greve nacional, por tempo indeterminado, a partir de hoje, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect). Em comunicado, a Fentect informou que a paralisação ocorrerá por […]

Trabalhadores dizem que a paralisação ocorre por considerar a contraproposta dos Correios às reivindicações insatisfatória
AE
Os funcionários dos Correios entrarão em greve nacional, por tempo indeterminado, a partir de hoje, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares (Fentect).
Em comunicado, a Fentect informou que a paralisação ocorrerá por considerar a contraproposta dos Correios às reivindicações insatisfatória. 
A Federação pede aumento salarial real de R$ 400, do vale-refeição/alimentação, piso salarial de R$ 1.635 e reposição da inflação de 7,16%, dentre outras reivindicações. De acordo com a Fentect, os Correios ofereceram reposição da inflação de 6,87%, abono salarial de R$ 800 e vale alimentação de R$ 25.
Leia Mais

14/09/2011

Jorge Vieira

Comente

14/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

ANDREZA MATAIS DIMMI AMORA DE BRASÍLIA A mulher do ministro do Turismo, Pedro Novais, usa irregularmente um funcionário da Câmara dos Deputados como motorista particular.   O servidor fica dia e noite à disposição da mulher do ministro, Maria Helena de Melo, 65, que é funcionária pública aposentada e não trabalha no Congresso.  A Folha […]

ANDREZA MATAIS
DIMMI AMORA
DE BRASÍLIA

A mulher do ministro do Turismo, Pedro Novais, usa irregularmente um funcionário da Câmara dos Deputados como motorista particular.
 
O servidor fica dia e noite à disposição da mulher do ministro, Maria Helena de Melo, 65, que é funcionária pública aposentada e não trabalha no Congresso.
 
A Folha flagrou o motorista nas últimas duas semanas fazendo compras para Novais em supermercados, buscando comida em restaurantes e levando Maria Helena para visitar lojas de Brasília.
 
O servidor chama-se Adão dos Santos Pereira. Foi contratado em julho como secretário no gabinete do deputado Francisco Escórcio (PMDB-MA), mas nunca deu expediente ali. Outros 
funcionários do gabinete disseram à Folha que nunca tinham ouvido falar no nome dele.
 
De acordo com o regulamento do Congresso, funcionários contratados pelos gabinetes parlamentares devem servir aos congressistas em atividades ligadas ao exercício de seus mandatos.
 
Funcionários do Executivo, como o ministro, são proibidos por decreto de usar servidores públicos para serviços particulares. O cargo de ministro assegura a Novais o direito a um carro oficial e um motorista particular.
 
A Folha revelou ontem que Novais pagou com dinheiro público o salário de sua governanta por sete anos, levando o Palácio do Planalto a pressionar o ministro para que se afaste do governo.
 
Até dezembro, Adão estava lotado no gabinete de Novais, que foi deputado federal por seis mandatos antes de aceitar o convite de Dilma para assumir o Turismo.
 
O servidor foi exonerado ontem, depois de Escórcio saber que a Folha preparava reportagem sobre o caso.
 
Funcionários que têm o mesmo cargo que Adão ocupava recebem de R$ 901,61 a R$ 1.803,22 por mês, dependendo das gratificações a que têm direito.
 
O chofer começava a trabalhar para a mulher do ministro às 8h. No feriado do dia Sete de Setembro, ele também esteve de plantão à disposição de Maria Helena.
 
O carro que ele dirigia, um Vectra, está registrado em nome da Dalcar Service Ltda., uma empresa do Maranhão que, de abril de 2009 a dezembro de 2010, recebeu R$ 159 mil do gabinete do então deputado Novais.
 
Segundo a Câmara, os pagamentos mensais teriam como finalidade a “locação de veículo automotor”. A Dalcar informou à Folha que alugou diretamente para o ministro o carro usado por sua mulher em Brasília. De acordo com a empresa, Novais paga R$ 6.000 por mês pelo Vectra.
 
Adão estacionava o automóvel no prédio do apartamento em que Novais e sua mulher moram atualmente.
 
Novais e Escórcio são aliados políticos e apadrinhados da família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). O gabinete de Escórcio contratou pelo menos outras três pessoas que antes trabalhavam para Novais.
Leia Mais

RADIO

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina