24 de novembro de 2011

Redação: (98) 98205-4499

24/11/2011

Jorge Vieira

Comente

24/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

 Policiais militares e membros do Corpo de Bombeiros decidiram, em assembleia geral, esta noite, cruzar os braços.  Neste momento eles ocupam a área externa da Assembleia Legislativa. São duas mil pessoas espalhadas no Palácio Manoelo Bequimão. Eles reivindicam melhores condições salariais, restruturação do Plano de carreira e um reajuste de 30%.  Em frente ao Sítio […]

 Policiais militares e membros do Corpo de Bombeiros decidiram, em assembleia geral, esta noite, cruzar os braços. 
Neste momento eles ocupam a área externa da Assembleia Legislativa. São duas mil pessoas espalhadas no Palácio Manoelo Bequimão.
Eles reivindicam melhores condições salariais, restruturação do Plano de carreira e um reajuste de 30%. 
Em frente ao Sítio Rangedor há um grande engarrafamento provocado pelos carros dos policiais que  ersolveram paralisar as atividades por tempo indeterminado. 
Leia Mais

23/11/2011

Jorge Vieira

Comente

23/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

O deputado governista Edilázio Júnior (PV) puxa o coro dos deputados inconformados com o processo seletivo realizado por Ricardo Murad para a contração de pessoal para as UPA’s. Vários parlamentares se manifestaram esta manhã, na tribuna, e classificaram de fajuto e politiqueiro o recrutamento realizado pela Secretaria de Saúde. Edilázio acusou Murad de ferir cinco […]

O deputado governista Edilázio Júnior (PV) puxa o coro dos deputados inconformados com o processo seletivo realizado por Ricardo Murad para a contração de pessoal para as UPA’s. Vários parlamentares se manifestaram esta manhã, na tribuna, e classificaram de fajuto e politiqueiro o recrutamento realizado pela Secretaria de Saúde.
Edilázio acusou Murad de ferir cinco princípios constitucionais de uma só vez: o princípio da legalidade, o princípio da impessoalidade, o princípio da moralidade, da publicidade e eficiência. O discurso foi reforçado pelas palavras do deputado Luciano Leitoa (PSB) que também desafiou os cidadãos de Timon a mostrarem com documentos que tenha havido publicidade do processo seletivo da SES. Leitoa pediu a Edilázio Júnior que estendesse suas reclamações ao Hospital Alarico Pacheco que “também precisa de profissionais qualificados e faz parte da estrutura de saúde do Estado no município de Timon”.
Conforme o parlamentar, Ricardo, com seu estilo trator, faz um processo seletivo fajuto, apenas fictício e que o nome deveria ser mudado de processo seletivo para processo de indicação ou processo de apadrinhamento. “Como pode duas secretarias de um mesmo governo ter dois pesos e duas medidas? Quero parabenizar meu colega de partido, deputado Victor Mendes, que está fazendo processo seletivo na Secretaria de Meio Ambiente, onde foi noticiado na imprensa de forma clara, um processo seletivo que nós pagamos uma inscrição de R$ 30 ou R$ 40, mas que diz o número de cargos, o valor do salário de cada cargo, enfim, a lisura e a transparência estão presentes na secretaria de Meio Ambiente”.
O deputado Bira do Pindaré (PT) declarou que Ricardo Murad rasga a constituição federal e a estadual com esse tipo de medida. E destacou a luta dos enfermeiros e enfermeiras por um piso salarial e pela realização de concurso público. Edilázio Júnior respondeu que quando se fala em processo seletivo está se falando em pontuação, em notas, e o concorrente quer saber se ficou em primeiro lugar, em segundo, terceiro ou se passou a constar de uma lista de excedentes.
O deputado Marcelo Tavares (PSB) frisou que quando chegou à Assembleia uma medida provisória da governadora Roseana Sarney alargando o prazo das contratações temporárias por quatro anos, ficou claro que o governo não ia fazer concurso público. Segundo ele, a especialidade de Ricardo Murad não é gerir a saúde, não é construir hospital, não é fazer as coisas bem feitas, é transgredir a legislação.
Leia Mais

23/11/2011

Jorge Vieira

Comente

23/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

As reivindicações e a ameaça de nova paralisação das atividades dos policiais e bombeiros militares foram discutidas na Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (23). A presidente da Comissão de Direitos Humanos e das Minorias, deputada Eliziane Gama (PPS) pediu novamente que o Governo do Estado atenda reivindicações da categoria para evitar o caos na […]

As reivindicações e a ameaça de nova paralisação das atividades dos policiais e bombeiros militares foram discutidas na Assembleia Legislativa na manhã desta quarta-feira (23). A presidente da Comissão de Direitos Humanos e das Minorias, deputada Eliziane Gama (PPS) pediu novamente que o Governo do Estado atenda reivindicações da categoria para evitar o caos na Segurança Pública do Maranhão. Ela lembrou que a liderança do Governo na Casa pediu um prazo de 15 dias que expirou nesta quarta, porém até agora não houve negociação.
 
“Estamos desde o mês de fevereiro em várias reuniões para tentar se chegar a um acordo e até o presente momento nada. Quinze dias foram estabelecidos pelo líder do governo, porém até o presente momento também não foi atendido. Precisamos resolver esta situação para evitar o caos na segurança”, lamentou.
 
Na tribuna Eliziane disse que recebeu a informação sobre possível ação do Batalhão de Choque na assembléia-geral que será realizada às 18h no prédio da Fetiema. Ela pediu sensibilidade do Comando da Polícia Militar para evitar ações violentas contra a categoria.
 
Outra preocupação da deputada é referente a presença da Força Nacional, pois, além de gasto diário para o Estado de aproximadamente R$ 250 por cada militar, os integrantes da Força Nacional não poderão realizar o trabalho dos bombeiros, principalmente em caso de incêndio.
 
“Com a Força Nacional o Maranhão paga uma diária de R$ 250 para cada um dos militares, porém a possível paralisação não vai ser apenas dos policiais militares, mas também do Corpo de Bombeiros que faz um atendimento, por exemplo, no Samu e em caso de incêndios”, lembrou.
 
Eliziane finalizou o pronunciamento dizendo que espera que a paralisação não aconteça.  “Todos esperamos que a paralisação não aconteça, mas queremos pedir sensibilidade do Governo do Estado do Maranhão, porque o policial militar trabalha em situação de risco, a família sofre quando ele sai de casa, alguns morrem trabalhando. Eles precisam pelo menos ter alguma comodidade financeira para diminuir essa carga de estresse diária”, destacou.
 
Leia Mais

23/11/2011

Jorge Vieira

Comente

23/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

 João Castelo terá que informar onde guardou o dinheiro A Assembleia Legislativa deu esta manhã o primeiro passo para tentar descobrir o paradeiro dos R$ 73 milhões que sumiram da conta da Prefeitura de São Luís, no Banco do Brasil. O presidente Arnaldo Melo (PMDB) leu o requerimento do deputado Roberto Costa solicitando a formação […]

 João Castelo terá que informar onde guardou o dinheiro
A Assembleia Legislativa deu esta manhã o primeiro passo para tentar descobrir o paradeiro dos R$ 73 milhões que sumiram da conta da Prefeitura de São Luís, no Banco do Brasil. O presidente Arnaldo Melo (PMDB) leu o requerimento do deputado Roberto Costa solicitando a formação de Comissão Parlamentar de Inquérito e deverá publicá-lo na edição desta quinta-feira, do Diário Oficial da Casa.
Por conter as assinaturas necessárias, a CPI proposta por Costa já está oficialmente criada e terá como objeto específico a investigação do destino dos recursos que estavam nas contas da Prefeitura de São Luís, provenientes de três convênios firmados entre Prefeitura e Governo do Estado em abril de 2009 para a construção de viadutos, prolongamento da Avenida Litorânea e asfaltamento de ruas.
Após a publicação do pedido, o próximo passo será a indicação dos sete componentes que irão compor a Comissão. Essa indicação se dará por parte dos líderes dos blocos da Casa e posteriormente também será publicada no Diário da Casa. A oposição terá direito a indicar apenas um membro.
Existe a expectativa de que os trabalhos da CPI sejam iniciados na próxima semana e terá prazo de 120 dias para apresentar o resultado da investigação. Caso seja necessário, o prazo poderá ser prorrogado por igual período.
Segundo o deputado Roberto Costa, em março de 2009, foram repassados à Prefeitura de São Luís cerca de 73.500.000,00 (setenta e três milhões e quinhentos mil reais) distribuídos em três convênios. O primeiro, de nº 004/2009-ASSJUR/SECID, processo nº2149/09 foi no valor de R$ 12.500.000,00 (doze milhões e quinhentos mil reais) e foi depositado na conta de nº 65994 agência 38466 do Banco do Brasil; o segundo convênio de nº 005/2009-ASSJUR/SECID, processo nº 2150/09 foi no valor de R$17.159.000,00 (dezessete milhões e cento e cinqüenta mil reais) depositados na conta 65978 agência 38466 do Banco do Brasil; e o terceiro convênio de nº 007/299-ASSJUR/SECID, processo nº529/2009 foi no valor de R$ 44.100.000,00 (quarenta e quatro milhões e cem mil reais) depositados na conta 65986 agência  38466 do Banco do Brasil.
Os valores foram depositados no dia 31 de março de 2009, data em que a 4ª Vara da Fazenda Pública expediu liminar determinando a suspensão dos convênios e devolução do montante que estavam no Banco do Brasil. Mas a devolução não aconteceu, pois quando o oficial de justiça chegou à agência para executar a liminar lhe passaram a informação de que o dinheiro havia sido transferido para uma agência da Caixa Econômica Federal. Entretanto, a Justiça foi surpreendida mais uma vez. O dinheiro não estava mais na Caixa Econômica e até hoje, depois da busca por um rastreamento determinado por decisão judicial, o dinheiro não foi encontrado em nenhuma conta da prefeitura.
Na última segunda-feira  (21), a deputada Gardênia, após uma semana de cobrança, foi à tribuna da Assembleia, reconheceu os convênios e o montante repassado à Prefeitura de São Luís, mas nada falou sobre o paradeiro do dinheiro, aumentando ainda mais a suspeita de que os recursos foram gastos pela administração municipal.
Leia Mais

23/11/2011

Jorge Vieira

Comente

23/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

O vice-prefeito de Imperatriz, Jean Carlo (PDT), utilizou a rede social Facebook para responsabiliza diretamente a governadora Roseana Sarney pela morte do jovem empresário Sandes Emanoel, cujo o corpo foi encontrado no município paraense de Dom Eliseu, em adiantado estado de putrefação. A declaração foi feita primeiro a jornalistas que acompanharam agora há pouco o […]

O vice-prefeito de Imperatriz, Jean Carlo (PDT), utilizou a rede social Facebook para responsabiliza diretamente a governadora Roseana Sarney pela morte do jovem empresário Sandes Emanoel, cujo o corpo foi encontrado no município paraense de Dom Eliseu, em adiantado estado de putrefação.

A declaração foi feita primeiro a jornalistas que acompanharam agora há pouco o enterro do corpo do empresário no cemitério Jardim das Rosas na região do Parque Alvorada em Imperatriz-MA e confirmada em seu perfil no Facebolok.

Conforme Jean Carlos, a execução de Sandes teve características de ligação com o crime organizado.

Segundo o vice-prefeito, a iminente greve dos policiais e bombeiros militares, a greve dos delegados da polícia civil, as constantes rebeliões, a paralisação das obras de construção da penitenciária em Imperatriz, entre outros, favorecem para que “os bandidos se instalem nas cidades do Maranhão”, arrematou.

Leia Mais

23/11/2011

Jorge Vieira

Comente

23/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

 José Luíz Oliveira de Almeida: Estupefação Causou-me estupefação, sinceramente,  a reiteração da ameaça do Deputado Manoel Ribeiro de representar contra o Desembargador Jamil Gedeon, em face de não ter “respeitado” a Pec da Bengala. A decisão do ilustrado Deputado de  representar contra o presidente do TJ/MA é inusitada e causa estupefação, pois que, pela primeira […]

 José Luíz Oliveira de Almeida: Estupefação

Causou-me estupefação, sinceramente,  a reiteração da ameaça do Deputado Manoel Ribeiro de representar contra o Desembargador Jamil Gedeon, em face de não ter “respeitado” a Pec da Bengala.
A decisão do ilustrado Deputado de  representar contra o presidente do TJ/MA é inusitada e causa estupefação, pois que, pela primeira vez na vida,  desde que aprendi a discernir as coisas,  vou assistir  alguém ser “processado” porque tenha feito valer a Constituição do seu país.
E olha, eu já vi de tudo na vida!
Já vi culpado ser absolvido, e   inocente  ser condenado.
Já assisti a vitória da ignomínia e do embuste sobre a retidão e a nobreza de caráter.
Já vi pai desconhecendo filho,  e filho desconhecendo pai.
Já  vi a borrasca,  e testemunhei a chegada da bonança.
Já noite virar dia,  e dia virar noite.
Já testemunhei a verdade ser sobrepujada pela mentira.
Já senti dor lancinante, e prazer reconfortante.
Já senti saudade,  partindo,  e a alegria, chegando.
Já vi rico ficar pobre trabalhando, e  pobre ficar rico apenas tripudiando.
Já vi filho desonrando pai, e pai abandonando filho.
Já vi  sorrisos  na tristeza e, contraditoriamente, prantos na alegria.
Repito, pois, que de tudo já vi um pouco.
Cada dia, no entanto, me surpreendo mais com a capacidade do ser humano de se superar no inusitado.
Apesar de tudo que já vivi e testemunhei, confesso, todavia, que é a primeira vez que vejo alguém ser ameaçado de representação  por decidir cumprir a Constituição do seu país.
Não sei, sinceramente, onde vamos chegar.
Doravante, se a graça pega, qualquer um de nós que ousar, diante de uma antinomia, decidir pela aplicação de uma lei em face da outra, poderá ser representado por essa petulância.
Desembargador José Luiz Oliveira de Almeida
Leia Mais

23/11/2011

Jorge Vieira

Comente

23/11/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

O líder da oposição, deputado Marcelo Tavares (PSB), em contundente pronunciamento, na tribuna, responsabilizou a governadora Roseana Sarney (PMDB) por tudo que vier ocorrer no Estado em decorrência da greve dos policiais militares e do Corpo de Bombeiros. Conforme Tavares, o Poder Legislativo, que intermediou o acordo que suspendeu o movimento paredista por quinze dias, […]

O líder da oposição, deputado Marcelo Tavares (PSB), em contundente pronunciamento, na tribuna, responsabilizou a governadora Roseana Sarney (PMDB) por tudo que vier ocorrer no Estado em decorrência da greve dos policiais militares e do Corpo de Bombeiros.
Conforme Tavares, o Poder Legislativo, que intermediou o acordo que suspendeu o movimento paredista por quinze dias, não cumpriu com sua responsabilidade e deve intervir para evitar o confronto. 
“Armaram uma bomba relógio e estão encurtando o tempo para explodir”, advertiu Tavares ao apelar para o bom senso e solicitar que o governo atenda as reivindiações dos policiais. 
Marcelo Tavares lembrou que o líder do governo “que rugia como um leão, fugiu para Portugal e não nunca mais deu nem um miau”. 
Se não houver uma res´popsta concreta do governo até o final da tarde hoje, a PM e o Corpo de Bombeiros podem paralisar suas atividades por tempo indetermionado.
Bira do Pindaré adverte que se o governo inistir nesta estratégia do confronto  vai sofrer a maior derrora, porque a populaçao não vai se calar. “Faço um apelo a todas as consciências para que se encotre uma solução para o conflito”.  
Leia Mais

RADIO

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina