3 de Março de 2015

Redação: (98) 98205-4499

03/03/2015 -

Jorge Vieira -

Comente

Othelino Neto e Rogério Cafeteira contestam críticas da oposição ao Congep

Os deputados Othelino Neto (PCdoB) e
Rogério Cafeteira (PSC) contestaram, na sessão de segunda-feira (2),
críticas feitas ao governo por conta do Conselho de Gestão Macro Política do
Estado do Maranhão. O vice-presidente da Assembleia Legislativa lembrou que a
oposição ao grupo Sarney criticou, à época, o Congep, denunciando a então
governadora Roseana Sarney por promover uma farra com a criação de 162 cargos
para o chamado “Conselhão”.

Othelino lembrou que este órgão,
criado com o nome de Conselho de Gestão Macro Política do Estado do Maranhão,
através da Medida Provisória 147 de abril de 2013, criou 162 cargos, seis em
cada uma das 27 regionais do Estado.

“E para que a então governadora fez
isso? Foi o que nós apelidamos, inclusive veiculado em órgãos da imprensa
nacional, de Bolsa Eleição. Foram cargos criados apenas para acomodar aliados
políticos do interior do Estado, em especial aqueles que tinham perdido a
eleição de prefeito. Aquela imoralidade, à época, foi denunciada pela oposição,
nós, eu, deputados Bira, Rubens Júnior e  Marcelo, fizemos a denúncia e
nós lemos aqui cada um dos nomes que foram contemplados no Conselhão e fizemos
uma representação para que deixasse de existir”, esclareceu Othelino Neto.

O vice-presidente explicou que a crítica
fora feita, na época, à farra eleitoreira e não à existência do Conselhão, até
porque ele fora criado pelo então governador José Reinaldo Tavares, para ser um
Conselho composto, exclusivamente, por secretários de Estado, que se reuniam
uma vez, mensalmente, ou mais uma vez, dependendo da convocação do governador
para discutir os assuntos de interesse do Estado.

O deputado frisou que este Conselho
era constituído apenas de secretários de Estado. “Mas o governo de Roseana com
o objetivo, como eu já disse eleitoreiro, criou mais 162 cargos. A critica foi
feita na época em razão desta imoralidade. O que existe hoje, no governo Flavio
Dino, é o Conselho com a composição exclusivamente dos secretários”, frisou
Othelino Neto.

Orçamento público

Em seu discurso, o deputado Rogério
Cafeteira contestou críticas da oposição, ocasionadas por reportagem veiculada
pela Rede Globo, no programa Bom Dia Brasil, sobre limites de comprometimento
do orçamento público com pagamento da folha de pessoal no Maranhão.

Rogério Cafeteira frisou que as
dívidas do Estado não correspondem apenas à folha de pagamento. E que o
governo, mesmo com todas as dificuldades, não pode abrir mão dos investimentos
nas políticas públicas. 

“É obrigação de um governo que sucede
outro dar procedimento às obras que estão sendo feitas no Estado e que, na sua
imensa maioria quase na sua totalidade, têm como fonte financiadora o
empréstimo do BNDES que esta Casa aqui aprovou. Então, são obras que não podem
ser paradas e nem devem ser paradas. Eu acho que cada governo teve seu momento
e deve ter seus créditos e seus ônus. Na questão de aumento de pessoal, o
governador Flávio Dino convocou mais 1000 policiais, com recursos oriundos da
gestão adequada da coisa pública”, ressaltou Rogério Cafeteira.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina