19 de Março de 2015

Redação: (98) 98205-4499

19/03/2015 -

Jorge Vieira -

Comente

MPMA aciona gestões e ex-gestores de Serrano do Maranhão por improbidade na gestão da saúde

O Ministério Público do Maranhão (MPMA), por meio da Promotoria de
Justiça da Comarca de Cururupu, ajuizou Ação Civil Pública por Ato de Improbidade
Administrativa contra a prefeita de Serrano do Maranhão, Maria Donária
Rodrigues, e o secretário municipal Gonzaga de Sousa, por omissão na gestão da
área de saúde no município, que é termo judiciário da Comarca.
Na ação, datada
de 19 de fevereiro e de autoria do promotor de justiça Francisco de Assis Silva
Filho, também figuram como réus os ex-prefeitos Leocádio Rodrigues e Vagno
Pereira e os ex-secretários de Saúde Ivanildo Reis e Maria Rita Oliveira.
A manifestação
do MPMA é fundamentada nas irregularidades constatadas em auditoria do
Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus),
realizada na Secretaria de Saúde do município, em dezembro de 2010.
IRREGULARIDADES
A
vistoria verificou ilegalidades, como a falta de elaboração do Plano Municipal
de Saúde, da Programação Anual de Saúde e do Relatório de Gestão da pasta.
O Departamento
Nacional também observou a ausência de capacitação dos membros do Conselho
Municipal de Saúde (CMS); as estruturas física e material insuficientes do
Conselho; a não realização da Conferência Municipal de Saúde; ausência de
inscrição de Pessoa Jurídica do Fundo Municipal de Saúde (FMS) e a falta de
Plano de Carreira, Cargos e Salários para os servidores da pasta.
Outro problema
constatado na auditoria foi o fato de o Fundo Municipal não ser gerenciado pelo
titular da Secretaria de Saúde.
Segundo o
representante do MPMA, os seis acusados omitiram-se, sem justificativa,
desrespeitando a Constituição e as Leis Federais n° 8.080/1990 e 8.142/1990,
que tratam de temas relacionados à área de Saúde.
“Desde a
auditoria, o Município de Serrano do Maranhão nunca respondeu a nenhuma das
requisições dos Ministérios Públicos Federal e Estadual, mostrando desinteresse
em solucionar os problemas verificados”, destaca Silva Filho.
PEDIDOS
Na ação,
o promotor de justiça requer que o Poder Judiciário condene os gestores e
ex-gestores à perda da função pública; à suspensão de direitos políticos, pelo
período de três a cinco anos; ao pagamento de multa de até cem vezes o valor da
remuneração recebida e à proibição de contratar com o Poder Público ou receber
benefícios ou incentivos fiscais pelo prazo de três anos.

O município de
Serrano do Maranhão está localizado a 479 km de São Luís.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina