7 de outubro de 2011

Redação: (98) 98205-4499

07/10/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

Justiça nega recurso e Hemetério praticamente perde o mandato

O desembargador Marcelo Carvalho Silva praticamente colocou uma pá de cal nas pretensões do deputado Hemetério Weba (PV) permanecer no plenário da Assembleia Legislativa, ao extingue a ação recisória pela qual o parlamentar pretendia manter o mandato cassado pelo juiz da Comarca de Santa Luzia do Paruá, Rodrigo Nina, por improbidade administrativa.
Resta agora a Hemetério apenas aguardar a sessão de quinta-feira, da próxima semana, quando possivelmente a Mesa Diretora da Casa deverá declarar vaga a cadeira e entregá-la ao suplente Tatá Milhomem, que teria movido mundos e fundos para ficar com a vaga do colega.
Weba, independente da arrogância que o levou à perda do mandato, na realidade, está sendo vítima de uma conspiração urgida nos porões da secretaria de Saúde do Estado para tornar o suplente Milhomem titular e possível candidato á sucessão do presidente Arnaldo Melo.
Milhomem, antes mesmo do Tribunal Regional Eleitoral anunciar o resultado oficial da eleição de 2010, já circulava nos corredores da Assembleia como se presidente fosse. A perda da vaga, no entanto, para Raimundo Louro (PR) o colocou na condição de suplente e o impediu de assumir a presidência da Casa. Seu nome era considerado de consenso na bancada governista. 
Sem ter como brigar pelo cargo, passou a missão para o deputado Ricardo Murad, que tinha o apoio do plenário e da governadora, mas com seu estilo trator conseguiu se atrapalhar todo e perder para ele mesmo uma eleição que era considerada favas contadas.
Coronel da reserva e araponga da Ditadura Militar, Milhomem, ainda que na condição de suplente, assumiu a presidência da Comissão de Constituição e Justiça, após a edição de um decreto legislativo feito especialmente para que ele pudesse burlar o Regimento Interno e ocupar o cargo indevidamente. Coisas que só acontecem no Legislativo do Maranhão dominando pela oligarquia Sarney.
Milhomem, apelidado de “canhão da idade média” pelo ex-deputado Marconi Farias por ser “curto, grosso, barulhento, mas que muito pouco dano causava ao inimigo”, agora se ver novamente em condições de brigar pelo cargo. Sabe com a benção de quem? Dele mesmo, Ricardo Murad.
O secretário cunhado da governadora, quer desta forma, continuar administrando o cofre cheio de dinheiro público federal da secretaria de Saúde e deixar um preposto no Poder Legislativo. Acabou sobrando para Hemetério, que vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal, conforme já anunciou, mas fora do mandato.
Te cuida Arnaldo Melo que o rolo compressor do Ricardão começou a atuar com vistas a 2013. Ver se abre o olho enquanto há tempo.        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar

Nossa pagina