14 de julho de 2017

Redação: (98) 98205-4499

14/07/2017 -

Jorge Vieira -

0

Justiça fecha os olhos para crimes de ‘colarinho branco’ de Roseana Sarney

A Justiça do Maranhão todas as vezes que tem que se manifestar sobre escândalos de corrupção envolvendo integrantes da família Sarney há sempre um juiz disposto a aliviar e inocentar, ainda que o processo esteja recheado de provas, como foi o caso do precatório da UTC-Constran que rendeu R$ 3 milhões em propina, segundo o Ministério Público, à ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

A ex-governadora, acusada de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa, entre outros crimes denunciados pelo promotor Lindonjohnso Gonçalves, no caso Constran, simplesmente foi inocentada pelo juiz Clésio Coelho Cunha, o magistrado que vem se especializando em livrar a cara de políticos do grupo Sarney suspeitos de corrupção.

O Maranhão todo tomou conhecimento da delação do doleiro Alberto Youssef, que foi preso em um hotel da orla de São Luís após entregar uma mala de dinheiro a assessores  do Governo Roseana.Ele revelou como o precatório da Constran furou a fila e quanto custou.

Segundo a delação de Youssef, a UTC-Constran pagou propina de R$ 3 milhões destinada ao então chefe da Casa Civil do governo, João Abreu, homem de confiança da governadora. O Ministério Público, no entanto, entendeu que o dinheiro era destinado a então governadora Roseana e lhe arrolou no processo como integrante da gangue.

Pela segunda vez o juiz Clésio Cunha passa a mão na cabeça de Roseana e a livra de processo por escândalo de corrupção. Neste último, a pesar do excesso de provas de que era ela quem comandava a quadrilha que assaltou o Estado e da confissão de Youssef, o magistrado a inocentou.

Apesar das inúmeras provas de corrupção e da própria confissão do doleiro Alberto Youssef de que entregou a mala de dinheiro que seria destinado a ela, ainda assim o juiz diz que não viu indícios para condenar a ex-governadora, mesmo ela estando no comando do grupo que furou a fila do precatório mediante propina.

Tá na hora do Conselho Nacional de Justiça ser provocado a verificar a complacência da Justiça do Maranhão com crimes de colarinho branco praticados por integrantes do grupo Sarney, um aglomerado de corruptos que age sobre a proteção de quem deveria zelar pela aplicação das leis.

Por conta dessas decisões bestantes questionáveis da Justiça do Maranhão, começam surgir nos bastidores comentários de que o objetivo e livrar da ex-governadora dos processo que rolam contra ela e torná-la apta a disputar a sucessão estadual de 2018.  Será?

1 comment on “Justiça fecha os olhos para crimes de ‘colarinho branco’ de Roseana Sarney”

  1. Macabeu disse:

    Só tem uma razão para resolver esta questão, a própria justiça. Há de se indagar, porque estes processos só cai na mãos desse juiz?. Isto e caso de CNJ.
    Já é tempo de separar o joio do trigo. A justiça tem que cortar na própria carne e fazer uma varredura e tirar os maus juises de circulação.
    Os bons juises tem que ter a ousadia dos canalhas, e purificar o judiciário dos bandidos de toga.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina