18 de dezembro de 2012

Redação: (98) 98205-4499

18/12/2012 -

Jorge Vieira -

Comente

Governistas brigam por valor de emendas

Rogério Cafeteira, presidente da Comissão de Orçamento

O presidente da Comissão de Orçamento e Finanças do
Poder Legislativo, Rogério Cafeteira (PMN) disse nesta manhã de terça-feira (18),
a um grupo de jornalistas, que a proposta orçamentária do Governo do Estado para o
exercício de 2013 será votada na sessão de amanhã (19), com as emendas
parlamentares no valor de R$ 4 milhões, conforme aprovado na Comissão de
Constituição e Justiça.

A governadora Roseana Sarney (PMDB) havia
acertado com o líder do governo, deputado César Pires (DEM) reajustar as
emendas de R$ 2,5 milhões para R$ 3 milhões. Manoel Ribeiro, presidente da Comissão de Constituição e Justiça, com ciúme, aproveitou a ausência do deputado Rogério Cafetreira, convocou uma reunião extraordinária conjunta da CCJ com a Comissão de Orçamento, mesmo sendo apenas suplente, e deliberou que as emen das seriam de R$ 3 milhões.

Nos bastidores do Poder Legislativo corre o murmurinho
de que a grande maioria dos 40 deputado que assinaram o ofício solicitando à
governadora que as emendas fossem reajustas para R$ 4 milhões estariam
satisfeitos com os R$ 3 milhões acertado com o líder do governo, mas que, por
ciúme, os deputados Manoel Ribeiro (PTB) e Carlos Alberto Milhomem (DEM) por
não terem sido eles os intermediários, decidiram fazer a corte para  a governadora e mantiveram
os R$ 3 milhões para dizer que eles que haviam seguido a orientação do Palácio dos Leões. 


Por conta da guerra renhida dos governistas para saber quem dará solução
para o caso, Rogério Cafeteira procurou esclarecer que as emendas serão de R$ 4
milhões, mas que a governadora se comprometeu em liberar apenas R$ 3 milhões.

“A mesma forma do governo Dilma: O parlamentar
pode extrapolar no valor da emenda, mas sabe que o governo somente irá liberar
algo em torno de R$ 3 milhões. Aqui será a mesma coisa, quem apresentou emenda
de R$ 4 milhões já está sabendo que somente serão liberados R$ 3 milhões”, esclareceu.

Cafeteira justificou o reajuste argumentando que
as emendas dos deputados são o instrumento que possuem para levar benefício às
comunidades que representam, mas condenou a atitude daqueles especialistas em
vender dificuldade para colher facilidade mais na frente. O parlamentar não revelou
os nomes, mas deu a entender que a acusação tinha como endereço o suplente Tatá
Milhomem e o deputado Manoel Ribeiro, presidente da CCJ.   
*Matéria revisada às 17h20 para correção de informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina