15 de Maio de 2015

Redação: (98) 98205-4499

15/05/2015 -

Jorge Vieira -

Comente

Falta de transparência na gestão Roseana Sarney gera mais um índice negativo para o Maranhão

A total falta de transparência
nos governos comandados pela Oligarquia Sarney continua rendendo índices desabonadores
para o Maranhão, principalmente no que diz respeito à Lei de Acesso a Informação.
Por conta das constantes sonegações nos últimos quatro anos de mandato da
ex-governadora Roseana Sarney, o Estado ficou em antepenúltimo lugar na Escala
Brasil Transparente, lançada hoje em Brasília pela Controladoria Geral da
União.   

Em comemoração aos três anos de
vigência da Lei de Acesso a Informação, a CGU lançou a EBT, índice que mede a
transparência pública de estados e municípios, na qual o Maranhão aparece com a
nota 2,22, a frente apenas dos estados do Amapá e Rio Grande do Norte que
obtiveram zero.

Antes que os adversários do
atual governo tentem lhe imputar a responsabilidade pelo baixo índice
alcançado, é bom ressaltar que o Maranhão somente aderiu ao programa Brasil
Transparente em 20 de março de 2015 enquanto os demais estados aderiram desde
2013 e tiveram tempo de se aprimorarem.

Certamente nas próximas
avaliações o Estado estará em melhores colocações, pois é sempre bom lembrar
que o Maranhão foi o penúltimo Estado a aderir ao programa da CGU, visto que a
administração Roseana Sarney se lixava para controle social. Neste Governo de
Flávio Dino, entanto, o caso foi priorizado e encaminhado logo nos primeiros
meses.

Diante da realidade herdada da
gestão anterior, onde as informações eram sonegadas no Portal de Transparência,
o atual governo, para se adaptar à nova realidade, fez sua parte contratando
novos auditores e retirando filtros do site do governo, onde eram omitidos
gastos e até os convênios para a transferência de recursos para as prefeituras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina