6 de dezembro de 2018

Redação: (98) 98205-4499

06/12/2018 -

Jorge Vieira -

Comente

Em 4 anos, Maranhão investe R$ 250 milhões em moradia digna para mais de 22 mil famílias

Casas, apartamentos, reformas e regularização fundiária. Com investimentos de R$ 254 milhões em diferentes programas e ações, nos últimos quatro anos, o Governo do Maranhão garantiu moradia digna para muita gente. Até agora já são mais de 2.400 unidades habitacionais construídas e em construção, 7.420 casas reformadas e 12.600 famílias beneficiadas com títulos de terra.

Em 22 municípios integrantes do Plano Mais IDH, de elevação do Índice de Desenvolvimento Humano, R$ 134 milhões foram investidos nas habitações, nos sistemas de abastecimento de água e nos sistemas produtivos para as comunidades do projeto.

Em Água Doce do Maranhão, Santa Filomena, Amapá do Maranhão, Newton Belo, Aldeias Altas, Satubinha, Lagoa Grande, Belágua, Araioses, Santana do Maranhão, Afonso Cunha, São João do Sóter e Serrano do Maranhão, das 2.200 moradias contratadas, 1.052 já estão construídas e as demais serão finalizadas em 2019.

As 1.052 casas construídas tiraram famílias de casas de taipa para o conforto da alvenaria. “Gostei muito de saber que vou ter uma casa de tijolo. Construir uma casa não é fácil, nem barato. Ainda mais de tijolos. Para mim, é uma alegria”, disse a dona de casa Maria dos Milagres Silva Carvalho, que a vida toda morou em uma casa de taipa em Belágua, onde o Minha Casa Meu Maranhão está reduzindo em 57% o déficit habitacional.

Chão firme – Na capital São Luís, dois conjuntos habitacionais, em fase de conclusão, já enchem de esperança os futuros moradores, alguns deles saídos de palafitas. Enquanto esperam o apartamento novo, recebem o aluguel social, para pagar a moradia provisória.

“Melhorou a minha vida, antes eu estava na palafita, agora tô vivendo de aluguel, mas em breve vou ter meu apartamento, um sonho se realizando”, disse Conceição de Maria Rabelo.

Moradora da Ilhinha, a diarista está recebendo aluguel social no valor de R$ 500 e em breve vai se mudar para um apartamento na Avenida Ferreira Gullar, no São Francisco, no residencial José Chagas.

“Agora está sendo bom, estava virando uma coisa perigosa, às vezes a gente caía na maré. Melhorou depois que estamos no chão firme, é uma vida digna”, completou Conceição.

Assim como Conceição, 256 famílias em condições de vulnerabilidade social vão ser beneficiadas com a construção desse residencial.

No Sítio Piranhenga, nas proximidades da Avenida dos Africanos, serão mais 1.104 apartamentos novinhos para quem precisa de um lar, no residencial Jomar Morais. O valor investido nas unidades é de R$ 100 milhões.

Terra própria – Como estímulo à produção familiar e sustentável, o Governo também já garantiu títulos de terra a mais de 12 mil famílias, entre individuais e coletivos, em mais de 130 municípios.

As concessões de títulos de propriedades destinadas ao cultivo se estendem por mais de 235 mil hectares de terra, beneficiando 7,5 mil famílias.

“Esse programa é uma das bandeiras do governo Flávio Dino com fins a diminuir desigualdades sociais e garantir dignidade à população”, pontua a secretária de Cidades e Desenvolvimento Urbano (Secid), Flávia Moura Alexandrina. O projeto é desenvolvido em parceria com o Instituto de Colonização e Terras do Maranhão (Iterma).

Já o Casa Cidadã é para adaptar ou reformar residências de pessoas com deficiência. O programa contempla 1.549 pessoas.

Cheque Minha Casa – Para quem precisava de melhorias no lar, como a construção de banheiros, acessibilidade para idosos e deficientes físicos, o Governo concedeu R$ 5 mil para 7.420 famílias.

Os recursos puderam ser usados para compra de materiais de construção – telhas, caibros, tijolos, piso, cimento, tinta, além de materiais para instalação hidráulica (canos, aparelho sanitário, pia, torneiras, caixa d’água) e elétrica (fios, tomadas e lâmpadas) e também beneficiaram maranhenses atingidos por enchentes.

Rua Digna – Com investimentos de R$ 21 milhões, o Mutirão Rua Digna tem levado pavimentação, qualidade de vida, e o fim de lama e da poeira, além da geração de empregos para os bairros e comunidades onde é executado.

Construídas pelos moradores, as obras do programa do Governo do Estado já chegam a 22 municípios, beneficiando também povoados nos municípios de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).

Outras ações – As ações na habitação ainda incluem o PAC São Francisco, um projeto do Governo Federal com contrapartida do Estado, para famílias que vivem sob risco na região da Ponta do São Francisco, em São Luís

Já o Residencial Parque Independência é feito em parceria com a Caixa Econômica Federal e construirá na capital 2.048 apartamentos para servidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina