César Pires quer que líderes do governo dêem liberdade aos seus cérebros – Jorge Vieira

13 de setembro de 2011

Redação: (98) 98205-4499

13/09/2011 -

Jorge Vieira -

Comente

César Pires quer que líderes do governo dêem liberdade aos seus cérebros

O deputado César Pires, indignado com a rejeição do seu projeto de lei que pretendia garantir que o servidor público não fosse transferido do seu local de trabalho quando estivesse cursando pós-graduação ou mestrado, fez um duro pronunciamento contra a falta de conhecimento dos líderes governistas que atuam no plenário da Assembleia Legislativa.

“Eu não estou exigindo nada, apenas pedindo que os professores tenham o direito de fazer mestrado e doutorado. Me dêem, pelo menos, o direito de poder levar isso avante, não se recuse diante do progresso, aqui não é afronta ao Governo, mas é afronta a cada um aqui que a consciência não deixou votar, convoquem as suas consciências a liberdade, pelo menos a liberdade do cérebro, não fiquem, na verdade, vencidos diante dos avanços, mas preconize-os, cresçam junto com eles, não se isolem diante daquilo que pode ser crescido, daquilo que pode ser grande”, discursou Pires.
Falta de respeito
O deputado Neto Evangelista condenou esta manhã, na tribuna, a falta de respeito do governo federal com o povo do Maranhão.
Ele criticou a falta de agilidade na execução dos trabalhos e condenou a Infraero pelo desconforto aos usuários do Aeroporto Marechal da Cunha Machado.
Neto sugeriu aos aliados da governadora que convençam a presidente Dilma Rousseff, quando de sua vinda ao Maranhão, a visitar a BR-135 para que ela conheça o sufoco de quem chega a São Luís por terra ou pelo ar.
A culpa e deles
Em meio as discussões sobre a falta de responsabilidade das autoridades federais com os problemas existentes no aeroporto e na BR-135, o suplente no exercício do mandato, Tatá Milhomem colocou o dedo na ferida.
“Nós precisamos exigir que nossa bancada federal exerça, de fato, sua função. Fico feliz quando vejo um deputado jovem como V.Exª pedir respeito com a população do nosso Estado”, reconheceu o decano parlamentar.
Ajuda de Sarney   

Os deputados que fizeram uso da palavra para criticar a falta de agilidade na execução dos trabalhos no Estado externaram suas contrariedades com a ausência dos senadores maranhenses na luta.
Coube ao polêmico Magno Bacelar, o Nota de Dez”, sugerir que os parlamentares maranhenses procurem usar a força do presidente do Senado, José Sarney, para pressionar o governo a executar as obras do aeroporto e duplicação da BR-135.
Apesar do ex-presidente de ser maranhense e ter trânsito livre no governo da presidente Dilma, Sarney nunca deu uma declaração a favor da causa.
Na crista da onda
Os números do Instituto Amostragem sobre sucessão em São Luís, divulgados hoje pelo Portal Vermelho, ligado ao PCdoB, revelam que se o presidente da Embratur, Flávio Dino, for candidato a prefeito não tem prá ninguém.
O prefeito João Castelo, segundo colocado, por exemplo, possui menos da metade das intenções de voto em Dino.
Com certeza, o pessimo desempenho do prefeito Castelo é fruto da caótica administração e do abandono da cidade. 
Pior que ele foi a performance do secretártio Max Barros. Mesmo montado em máquinas que executam a “Via Expressa” ficou atrás de Tadeu Palácio e Eliziane Gama.
Pelos números do Amostragem, nem se a governadora construir todas as obras prometidas durante a campanha eleitoral de 2010 faz Max decolar. O homem parece que tem o minério de Carajá amarrado aos pés.
Pelo visto, a população de São Luís já não aguenta mais a velharia politiqueira, seus puxas e quer sangue novo no comando do município.
Surpresa agradável
Assessores do deputado Bira do Pindaré vibraram com a pontuação do pré-candidato na pesquisa do Instituto Amostragem, contratada pelo PCdoB.
Motivo da euforia: num cenário com dez candidatos Bira ficou em quarto lugar com 7,5%, atrás apenas de Flávio Dino (44,33%), João Castelo (17,5%) e Edivaldo Holanda Júnior (9,67%.
O parlamentar, embora no primeiro mandato, ficou à frente de Tadeu Palácio (6,83%). Eliziane Gama (4,33%), Max Barros (3,67%), Roberto Rocha (2%), Marcos Silva (1,5%) e Haroldo Sabóia (083%). 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Buscar

Nossa pagina