17 de janeiro de 2013

Redação: (98) 98205-4499

17/01/2013 -

Jorge Vieira -

(1)

Carnaval sem passarela: São Luís agradece o fim do desperdício de dinheiro público

Esperei que todo mundo se pronunciasse a respeito
da decisão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior em suspender a construção da
passarela para o desfile das Escolas de Samba e a destinação de 50% dos
recursos do Carnaval para a saúde de São Luís, para poder dar minha opinião
sobre o assunto.

Apesar de gostar muito da folia de Momo, tenho absoluta
convicção que a grande maioria dos cidadãos ludovicenses apoiou a iniciativa da
Prefeitura de São Luís em acabar com o este paternalismo que só serve para
encher bolso de dono Escola de Samba e Blocos Tradicionais em época de
Carnaval.   

O mais curioso de tudo é a arrogância daqueles que
afirmam que só colocam as brincadeiras na rua se a prefeitura pagar. Ora, me
compre uma carrada de bode seu bando de mercenários carnavalescos de
mentirinha. Como pode o município fazer festa com os hospitais sem medicamentos,
estudantes fora da sala de aula e com outros setores essenciais transformados em
caos?

Qual a importância que esse desfile de imitação de
Escolas de Samba do Rio de Janeiro tem para a cidade? Alguém já teve a preocupação
de observar que a tal passarela do samba, no Anel Viário, só tem público no
domingo de madrugada quando a Favela do Samba, Turma do Quinto e Flor do Samba
se apresentam?

Será que vale a penas gastar tanto dinheiro público, volto a repetir,
para ver apenas três imitações de Escola de Samba do Rio de Janeiro desfilar
com seus carros alegóricos caindo os pedaços na avenida? A população não merece
isso.  

Adoro os Blocos Tradicionais, sim, mas da forma que
eles brincavam, quando iam para as ruas de livre e espontânea vontade, apenas
pelo prazer da diversão, até porque as fantasias são pagar pelos brincantes, porém,
depois que confinaram eles à passarela, basta olhar para as arquibancadas vazias
para observar a falta de interesse do público.  

Nasci vendo esses  maravilhosos blocos e as Escolas de Samba com nosso rítimo desfilando pelas ruas da cidade, sem compromisso com títulos, apenas pelo prazer dos brincantes desfilarem com seus estandartes. Pouca coisa ainda resta deste tempo não muito distante, apenas os blocos continuam como antes, porém na Escolas de Samba trocaram os tambores de mão feito com pele de animal por repique, caixa, tarol, tamborim e sudão de naylon. Para que a imitação ficasse mais parecida com o original, aceleraram o rítimo e perderam a identidade cultural.  


Na minha opinião, está correta a decisão do
prefeito em cuidar dos problemas mais urgentes da cidade. Como pode esses
dirigentes de Escolas de Samba quererem obrigar a
prefeitura a doar dinheiro para eles quando enfermos estão morrendo nos hospitais
de urgências e emergência por falta de medicamentos? É muita cara de pau, uma verdadeira falta de respeito com a população. 

5 comments on “Carnaval sem passarela: São Luís agradece o fim do desperdício de dinheiro público”

  1. Anônimo disse:

    vc cara não saber nada de carnaval em vc deve ser um deles pois tem muita gente quem ganha com o carnaval ser burro nos q ja estava com tudo gasto para e vender no carnaval vc vai pagar nos

  2. Anônimo disse:

    A situaçao da cidade os culpados são os politicos e outra o dinheiro que vc menciona os donos de bloco colocar no bloso não chega perto que os politicos roubam para si e espera Edivaldo vai ser o único honesto me compre um bode.

  3. Anônimo disse:

    Você realmente deveria ter ficado calado! Nninguem do movimento cultural nunca questionou sua conduta jornalistica hora oposião e outra governista. Você é tendencioso… Conheça melhor os fatos e nunca generalize o segmento como pessoas que não tem escrúpulos e compromisso com o que é público.

    Fica aqui me menosprezo pra você e sua corja de políticos que você num momento morde e depois assopra.

    Fabio Perfec Moraes
    Produtor Cultural

  4. Jorge Vieira disse:

    Porque a Prefeitura teria que financiar escolas de samba com a situação financeira do município transformada em caos? Só para agradar dirigentes de escolas de samba? Na minha opinião, e vou continuar com ela, saúde é prioridade, festa não. Quem pensa o contrário é a governadora, mas ela prefere fazer festa com artistas de fora, pagando cachê altíssimos, a ajudar as brincadeiras de rua tradicionais. Quanto a minha opção política, só para alertar este que assina como produtor cultural, desde que nasci sou contra e luto contra essa oligarquia nefasta que levou o Maranhão ao fundo do poço. Sempre estive na oposição e nunca mudei de lado. Gosto de Carnaval sim, mas neste momento de dificuldade, só os insensatos defendem a perpetuação da política do pão e circo.

  5. Anônimo disse:

    Amanhã (terça-feira) as 15:30 concetraremos em frente a Casa do Maranhão…E iremos até os Palácios do Leão e Ravardiere.

    Reafirmo meu pensamento fique na sua linha de política governamental e esqueça de comentar sobre políticas culturais, pois desta realmente você não conhece nossos anseios.

    Compre sua maizena, espuma e lança perfume, e divirta-se onde lhe convém.

    Um abraço!
    Fabio Perfec Moraes
    Produtor Cultural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina