13 de outubro de 2018

Redação: (98) 98205-4499

13/10/2018 -

Jorge Vieira -

Comente

Candidatos derrotados para o governo veem em Bolsonaro a boia da salvação

Time de candidatos derrotados está com Jair Bolsonaro no Maranhão

Os candidatos ao governo derrotados ligados a oligarquia Sarney estão unidos agora em torno do candidato reacionário do PSL, Jair Bolsonaro. O senador Roberto Rocha, por exemplo, atropelou até a posição da neutralidade do PSDB nacional para declarar apoio ao capitão reformado do Exército. A candidata Maura Jorge, por ser do mesmo partido de Bolsonaro, conta agora com a companhia de Roseana e o que restou do grupo Sarney.

Está bem claro que os grupos que fazem oposição ao governo de Flávio Dino estão no palanque do candidato do PSL por veem nele a oportunidade de atrapalharem o governador, pois os discursos do militar reformado não deixam dúvidas de que os adversários do autoritarismo serão perseguidos, caso o candidato Fernando Haddad não consiga reverter a desvantagem nas pesquisas.

Entre os náufragos que esperam se salvar na boia de Bolsonaro, além de Adriano Sarney, Edilázio e Ricardo Murad, estão Roberto Rocha e Roseana Sarney, esta última se recolheu após a humilhante derrota nas urnas, mas autorizou o sobrinho Adriano a anunciar a adesão do grupo ao bolsonarismo; já Rocha, cuja votação (64 mil votos) não daria nem para eleger a deputado federal, fez o comunicado através de nota oficial.

Rejeitado nas urnas, Roberto Rocha, sem dúvida, foi o grande perdedor da eleição. E como já vinha trabalhando para atrapalhar o governador, como foi o caso das emendas parlamentares que a bancada federal havia colocado todo para a saúde pública dos municípios do Maranhão, se apressou em anunciar apoio a Bolsonaro, querendo fazer (sem moral) contra ponto ao governador que apoia a candidatura de Haddad.

Dos candidatos que disputaram o governo do Estado, apenas Dino e o representante do PSOL, Odívio Neto, seguem a orientação da direção nacional da legenda de apoiar o candidato da aliança PT/PCdoB. O representante do PSTU, Ramon Zapata ainda não manifestou sua preferência para o segundo turno ou se prefere a neutralidade.

Resta saber o caminho que tomará o deputado Eduardo Braide, que saiu das urnas muito mais forte que Roberto Rocha, mas ainda não veio a público externar sua posição em relação ao segundo turno da eleição.

É bom lembrar que o candidato Fernando Haddad, com o apoio de Flávio Dino venceu em 214 dos 217 municípios do Maranhão. Só ficou em desvantagem em Imperatriz, Açailândia e São Pedro dos Crentes, mas seus aliados no Estado trabalham para ampliar a votação no segundo turno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

RADIO

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina