17 de junho de 2017

Redação: (98) 98205-4499

17/06/2017 -

Jorge Vieira -

Comente

Advogado de Murad  consegue libertar presidente do IDAC preso pela PF

Aragão conseguiu sair da cadeia com um habeas corpus

São cada vez mais evidentes as relações entre o ex-secretário de Saúde do Estado, Ricardo Murad, com o presidente do Instituto de Desenvolvimento e Apoio a Cidadania (IDAC), Antônio Aragão (PSDC), preso em flagrante pela Polícia Federal desviando recursos da saúde pública do Maranhão. O advogado Celso Henrique Anchieta de Almeida, lotado no gabinete do deputado Sousa Neto (PROS), genro de Murad, é mais um indicativo do temor do cunhado da ex-governadora Roseana Sarney (PMDB) com a possibilidade de uma delação do acusado, pego com a “mão na massa”.

Por enquanto, o esforço do advogado de Murad resultou na concessão de habeas corpus pelo desembargador Olindo Menezes, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região, em favor de Antônio Aragão, Walterlino Silva Reis e Marco Serra dos Santos. Bruno Balby Monteiro continua preso. Os quatro foram preso na operação Rêmora, um desdobramento da operação Sermão aos Peixes que investigou e constatou desvio de recurso público da ordem de R$ 18 milhões da saúde do Maranhão por parte da instituição.

Henrique exerce o cargo de assessor de Técnico Parlamentar Especial na Assembleia Legislativa do Maranhão desde 11 de fevereiro de 2015 e atuou como advogado da SES na gestão de Ricardo Murad. Com o fim do Governo Roseana passou a prestar seus serviços ao gabinete do genro de Ricardo Murad, conforme revela o Diário da Assembleia.

Na avaliação de observadores políticos, o fato de um advogado que trabalha para a família Murad se interessar por Antônio Aragão não deixa de passar um certo temor com a prisão de Aragão, um velho aliado de Fernando Sarney e sua gente. De reles advogado de partido nanico, Antônio Aragão se transformou da noite pro dia num próspero empresário do ramo de saúde. Deu no que deu: uma temporada atrás das grades, com possibilidade de voltar no final do processo ou em caso de cassação da liminar.

Celso Henrique foi advogado da SES na gestão de Murad

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rádio Timbira Ao Vivo

Buscar

Nossa pagina